1) Um oficial da ativa se dirige ao blog a respeito dos textos de militares circulando na internet; 2) O sucateamento dos recursos humanos das Forças Armadas

Consultando um oficial da ativa a respeito de manifestações de militares através da internet recebi a seguinte resposta:

 

Não são falsas as mensagens que o senhor recebeu. Todos, ou quase todos, os nomes citados nas mensagens são de oficiais e/ou praças que costumeiramente se manifestam através das redes sociais.
Os nomes Rogério, Batalha, Ustra, Péricles, Pimentel, Sarides, são conhecidos e escrevem com regularidade, mas nem mesmo entre eles existe concordância sobre o que fazer, ou como fazer. A proposta mais controversa ( para dizer o mínimo), é que o Clube Militar convoque os associados para uma Assembléia Permanente que só terminaria quando os seguintes objetivos fossem alcançados: aumento, reequipamento, encerramento das atividades da Comissão da Verdade.
Lembro ao senhor que os que estão se manifestando têm como exemplo o que aconteceu quando a capital do País era o Rio de Janeiro e o Ministro da Guerra acumulava o cargo com o de Presidente do Clube e, nesse caso, poderia determinar que as Unidades da Vila Militar descessem a Av Brasil e cercassem o Catete.

Em 1964 a Assembléia permanente começou no Clube Naval, devido ao episódio da Revolta dos Marinheiros e o Almirante Aragão. Depois os oficiais dirigiram-se ao Clube Militar, onde no dia 31 de março ocorreram duas mortes, com interpretações controversas: alguns dizem que uma delas aconteceu dentro do Clube quando alguém tentou invadir a instiuição e a outra que teria sido na rua.  Em minha opinião tais condições são hoje inexistentes, e os militares, com alto grau de patriotismo, aceitam as injurias que lhes são dirigidas guardando respeito pelo seu papel constitucional.

No próximo dia 21 será realizada uma reunião com os presidentes do três clubes aonde se discutirão medidas jurídicas que possam impedir o funcionamento da Comissão da Verdade. Não sendo possivel impedir que se consuma este ato de violência contra a Lei da Anistia espera-se que pelo menos sejam protegidos de constrangimentos aqueles intimados a depor. Os presidentes dos clubes não guardam posição unânime com respeito ao que se deve fazer.

Outro problema que levo ao seu conhecimento é o de que os oficiais generais de 4 estrelas do Alto Comando não estão satisfeitos com o Comandante do Exército, principalmente em relação ao episódio do Cadete Lapoente.
Para finalizar, o Comandante da Marinha, que em sua mensagem de final de ano de 2011 comprometeu-se com o aumento ainda este ano, viu-se em situação embaraçosa, e muitos oficiais são de opinião de que seu próximo e único passo admissivel seria pronunciar-se claramente a este respeito, demitindo-se em seguida. Tal atitude honraria seu nome e o da Marinha em geral

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-.–.–.-.–.-.-.-.-.-.-..-.-.-.-.-.-.–.-.-.-.-.-.-.–.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-..—.-.-.-

 

 

A “COMANDANTA”
E O SUCATEAMENTO  DOS MEIOS E DOS RECURSOS HUMANOS DAS FORÇAS ARMADAS (FFAA) Doc. nº150 -2012 –
www.fortalweb.com.br/grupoguararapes
A  família  castrense, de todos os tempos, cultiva três máximas citadas e exercitadas, diuturnamente, por todos os comandantes militares, em todos os níveis de comando: “O comandante é o responsável por tudo que está sob o seu comando, por tudo que seus subordinados fazem ou deixarem de fazer e por tudo que acontece ou deixa de acontecer”.

Há mais de duas décadas que o supremo comandante das Forças Armada (Art 142 da Constituição de 1988), vem esquecendo essas máximas e, paulatinamente, assistiu, estimulou  e mesmo determinou o sucateamento dos meios e do pessoal das FFAA com a transparente intenção de comprometer a alta confiabilidade e credibilidade que a população dispensa às mesmas.
Essa credibilidade foi conquistada em face da atuação das FFAA desde o Brasil Colônia, passando pelo Brasil Império e por todo o período republicano vigente, enfrentando os inimigos da Pátria, quer atuando no território brasileiro, quer atuando no teatro sul-americano ou europeu, onde deram mostra de competência, dedicação, patriotismo, amor incondicional à Pátria. Além disso, quando, foram chamados para o exercício de atividades administrativas e/ou políticas, deram mostra de honestidade, competência, amor ao trabalho, objetividade, determinação, conhecimento dos problemas nacionais e acendrado patriotismo.
Neste caso, citamos apenas os exemplos recentes vividos no período do “milagre brasileiro” quando tivemos 5 (cinco) generais exercendo a Presidência da República, sem nenhum registro menos nobres, quer seja de nepotismo, quer seja de qualquer tipo de ilícitos, em face de todos os Presidentes civis  sob a égide da Constituição de 1988  que assumiram a Presidência com modesto patrimônio e de lá saíram  milionários. O exemplo mais gritante é o de Lula, que, de simples torneiro, é citado como milionário na mídia mundial.
Era de esperar-se  que a atual “COMANDANTA” FFAA exercitasse o seu dever constitucional e assegurasse os meios necessários para que as FFAA  se mantivessem a altura do cumprimento do seu dever constitucional de garantir, a defesa da Pátria, o pleno exercício dos Poderes Constituídos  e a  Lei e a Ordem. No entanto, a atual “PRESIDENTA” segue, rigorosamente, a política de seus antecessores, declarados de ideologias esquerdistas, que tudo fizeram para sucatear materialmente  as FFAA e desmoralizar os seus quadros de pessoal, em aberta política de revanchismo, em face das vitórias das FFAA contra os inimigos da Pátria em 1935, 1964, 1967/8 e cujas lideranças estão ocupando, atualmente, os pontos chaves da Nação.
Assim A “COMANDANTA” seguindo a política de descrédito e desmoralização das FFAA,  praticada por seus antecessores, nega, recorrentemente,  à Força Aérea Brasileira (FAB), a aquisição de aeronaves compatíveis com a sua missão e inalienáveis responsabilidades; à  Marinha que, há mais de uma dezena de anos espera por aeronaves para o nosso único navio aeródromo, também julgado obsoleto, além de uma frota, absolutamente, envelhecida e quantitativamente inexpressível, em face de suas responsabilidades; e o que dizer  das viaturas de combate, do armamento e equipamento do Exército, se a maioria do  seu material rodante e armamento têm mais de 40 anos?
No campo de pessoal a situação é mais  caótica ainda: os salários dos militares foram aviltados de tal forma que um ascensorista do Senado recebe mais  que um piloto de caça da FAB; qualquer concursado para as carreiras de Estado, como a judiciária etc., no seu estágio inicial, recebe mais que um general com mais de 40 anos de serviço…
Como consequência de tudo isso, aumenta dia-a-dia, a evasão de profissionais da FFAA com destino as carreiras de Estado gerando um grande desestímulo à Inteligência  juvenil para ingresso nas FFAA. Alguém, por dever de ofício e amor à  Pátria, terá que pressionar e “sacudir”  a “COMANDANTA”  das FFAA, chamando-a à REALIDADE, pois sua atitude e  seus atos estão colocando em risco a Soberania  Nacional e a Integridade Territorial do País, meios necessários para a garantia do funcionamento dos Três Poderes  da República, da Lei e da Ordem e, por via de consequência, o funcionamento da democracia no Brasil.
“SE QUERES A PAZ, PREPARA-TE PARA A GUERRA”
Publius Flavius Vegetius Renatus.
ESTAMOS VIVOS! GRUPO GUARARAPES! PERSONALIDADE JURÍDICA sob reg. Nº12 58 93. Cartório do 1ºregistro de títulos e documentos, em Fortaleza.  Somos 1.807 civis – 49 da Marinha –  478 do Exército – 51 da Aeronáutica; TOTAL 2.385. batistapinheiro30@yahoo.com.br. www.fortalweb.com.br/guararapes   14 DE JUNHO DE 2012
REPASSE AMIGO! O BRASIL PRECISA DE VOCÊ!

 

15 junho, 2012 às 01:23

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *