A BOMBA está prontinha para ser usada!

Apesar do Obambi, o Pentágono continua trabalhando. Os militares americanos anunciaram oficialmente hoje, dia 17 de novembro, que já está prontinha para ser usada a mais tremenda bomba não nuclear jamais construída. Ela vai ser acoplada ao fabuloso bombardeiro americano o B-2, sendo capaz de atravessar aço e concreto até 66 metros. Parece que é suficiente para arrasar as usinas iranianas que estima-se estejam enterradas por volta de  60 metros.  É a Massive Bunker Bomb. Olá, aitolás e mustafás, o dia está chegando!

O texto que está abaixo foi escrito em 2007, mas vale a pena ser lido:

————————

O programa americano conhecido como MOP (Massive Ordnance Penetrator) ou  projéctil de grande penetração, deverá durante este ano de 2007 atingir um novo estágio com o desenvolvimento de uma bomba com um peso total de 13600Kg e destinada especialmente a destruir instalações protegidas por blindagens e ocultas debaixo do solo.

A MOP, é uma bomba que ultrapassa em mais de um terço a MOAB, outro  gigante americano em termos de bombas, embora esta última seja destinada a produzir uma grande explosão para destruir alvos à superfície enquanto a nova MOP,  se destina a perfurar o solo e   explodir a uma  profundidade pré programada, ou quando se verifiquem as condições (também pré programadas) para explodir.

Ao contrario da MOAB, que só pode ser lançada a partir de aviões do tipo do C-130 Hércules, a MOP, poderá ser lançada de bombardeiros como o B-52, mas mais importante ainda, a partir de aviões bombardeiros Stealth como o B-2.

A MOP, será controlada por GPS, mas pode ser lançada mesmo em lugares onde existam dispositivos que distorçam o sinal GPS porque terá capacidade para identificar o terreno, podendo atingir alvos a altitudes superiores a 3.000 metros acima do nível do mar, o que permite até perfurar montanhas e destruir instalações a grande profundidade. A bomba não se deforma nem explode com o contacto com o solo, e funciona como um aríete de aço que perfura o solo a grande velocidade.

Ela será lançada de aeronaves voando a grande altitude, nomeadamente de bombardeiros B2, que são capazes de passar despercebidos a sistemas de radares de defesa e aos mísseis antiaéreos.

Nos últimos anos, o Pentágono e meios ligados à defesa, têm mostrado especial interesse por este tipo de bombas, e pelos meios que serão necessários para a sua utilização. Elas deverão dar aos Estados Unidos uma capacidade para atacar alvos inimigos que estejam muito protegidos, sem ter necessidade de recorrer a armamentos nucleares tácticos, evitando assim as consequências políticas da utilização de uma arma atómica, mesmo que de pequena dimensão.

A possibilidade de utilização deste tipo de armamento nuclear táctico, uma bomba atómica de pequena dimensão que perfura e explode debaixo do solo foi já considerada por alguns analistas americanos, como uma das formas de garantir o sucesso numa eventual investida contra as várias instalações no Irão onde se produzem os componentes necessários à construção da bomba atómica iraniana. A MOB, que em inglês é também sinónimo de um instrumento de limpeza (conhecido por rodo) será assim uma boa forma de evitar as desastrosas consequências políticas que adviriam da utilização de armas atómicas.

17 novembro, 2011 às 02:30

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *