Adeus impeachment; tópicos; o caráter do povo brasileiro

 

 

Political Cartoons by Michael Ramirez

 

 

Dilma e Lula voltaram a respirar, estão muito mais tranquilos. Lula desafiou toda a sociedade quando disse: “quero ver quem tem coragem de me processar”. E o engraçado é que os nossos colunistas ainda medem palavras quando analisam os personagens criminosos do momento político brasileiro. Até agora não perceberam que é pura covardia de sua parte – estão tratando com uma gentalha que escapou da penitenciária de Bangu. Chega a ser cômico e trágico.

Enquanto isso estamos cada vez mais desmoralizados pela falta de reação. Somos apenas espectadores. Lemos os jornais, assistimos o noticiário na TV. Achamos que os outros, os juízes, o Moro, os jornalistas, sei lá quem, vão resolver tudo para nós. Mas, lá no fundo já percebemos que os bandidos ganharam a parada. O impeachment ( que era o mínimo que poderíamos esperar) foi para o espaço. Será que não reagimos porque também somos desonestos, e apenas não tivemos a oportunidade de roubar ?

Vivemos com medo de assaltos nas ruas. É o celular, é a carteira, o relógio. E o medo é um sentimento que faz mal para a saúde. Nossa auto estima é nenhuma. Estamos nos tornando zumbis, e assim vamos levando nossas vidas de merdinhas que se conformaram em serem pisados todos os dias.

Nossos impostos pagam os salários dos militares. Quais são os seus deveres? Está na Constituição: Art. 142. As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.
O QUE É QUE ELES ESTÃO ESPERANDO????????????????????????????????????????????

 

 

 

 

 

Baudelaire, em Flores do Mal. O último verso é monumental.

“Com o coração em paz galguei a altura escarpada
Da cidadela e, como de uma torre, avistei a cidade,
O hospital, o bordel, o cárcere e os infernos…
Onde o mal surge suave como uma flor.
Tu sabes, ó Satanás, protetor de minha mágoa,
Que ali, a essas horas, não fui em busca de
lágrimas inúteis,
Senão como um velho triste, fiel e libidinoso,
Disposto a sorver o prazer dessa grande rameira
Cuja beleza infernal me rejuvenesce;
Quer estejas dormindo cheia de pesados vapores,
Saturada do dia, ou que, engalanada,
Apareças embelezada pelos véus de renda dourada
da noite
Eu te amo, cidade infame!
As prostitutas e os perseguidos podem proporcionar prazeres muito seus,
que o vulgo jamais logrará entender”

 

 

 

 

 

O Exército me enviou o seguinte documento:

“INTIMAÇAO – Líster de Figueiredo, Major de Infantaria, encarregado de um Inquérito Policial-Militar, a fim de apurar os crimes militares, os crimes contra o Estado e a Ordem Política e Social determina a Claudio Mafra, residente á Universidade de Brasília, que compareça sob as penas da Lei, no dia 28 de setembro de 1965 ás 13 horas, no quartel do Batalhão da Guarda Presidencial a fim de prestar declarações no caso em que é INDICIADO.”

Gosto muito deste elegante “crimes contra o Estado”. Eu realmente pratiquei todos os crimes que me atribuiram.

 

 

 

 

Quer dizer que a Dirma vai ficar ? Acabou-se esse negócio de impeachment ? A canalhada do judiciário e legislativo já foi devidamente comprada pelo dinheiro que continua jorrando de fundos de pensão e mil outras fontes que o executivo comanda. ( comprada pelo MEDO das denúncias também). Com a impunidade dessa mulher e de Lula volta, devagar, o entusiasmo por meter a mão aonde for possivel. Os “novos ladrões”, assim como os “velhos”…, aprenderam muito com o perigo de utilizar doleiros famosos, confiar nos bancos suiços, e ninguém lhes disse que era uma fria se meterem em operações ligadas de alguma forma aos Estados Unidos. Agora vai ser diferente. A delação premiada, esta descoberta terrivel, acabrunhante, mostrou que não se pode confiar nem na mãe. Daqui para a frente, conversar só se admite com todo mundo nú. E acabou-se essa história de disco rígido e outros perigos. Cada ladrão vai contratar um hacker para proteger seus computadores, além de invadir os dos outros, inclusive os da polícia, procuradores, e o que estiver pela frente.

As nuvens negras estão passando, tudo mostra um novo amanhecer. Alguns poucos vão pagar pela euforia e falta de cuidado como se atiraram aos bilhões de dólares. Mas…, não se pode culpá-los. Afinal, tudo vinha dando certo há décadas.

 

 

 

Que ninguém tenha dúvidas quanto ao meu caráter: ” Deus é testemunha que jamais abandonei um amigo que estivesse no poder.”

 

 

 

 

 

 

“Nem o riso, nem o pranto duram muito…
Nem tampouco o amor, o desejo e o ódio;
Creio que deles não mais participamos,
Uma vez franqueado o grande portal…
Não são longos os dias de rosas e de vinho!…
De um sonho brumoso
Emerge o nosso caminho por um pouco de tempo
a seguir se fecha
Novamente num sonho…”

(Dowson)

 

 

Quietinhos, comportadinhos, pobrezinhos, vendo mãos estranhas enfiadas nos seus bolsos.

Só temos ladrões nos altos( e baixos) cargos públicos do Brasil. Basta folhear o jornal para constatar que não escapa ninguém. É cômico! Aliás, vamos dizer que a exceção é de 1% (para salvar parentes e amigos). Há muito tempo nada nos espanta. Aliás, eu acho que surpresa, a única possivel, seria uma manchete dizendo que descobriu-se que o juiz Moro meteu a mão quando era promotor, etc.etc….etc. Surpresa para os outros, não para mim. Nem sei quem é o cardeal mais importante por estas bandas, mas se ele desviou dinheiro arrecadado para as criancinhas pobres eu acharia naturalíssimo.

De que maneira mudar este quadro de completa degradação? Eleições? Uhmmmmm…..Os candidatos são pessoas decentes ? Alguns – sabemos com toda a certeza – também roubaram. O país é imenso, com governadores, prefeitos, vereadores, juizes, policiais, tudo aos milhares ( com exceção dos governadores) e quase todos sob suspeição. Alguém discorda? É possivel sair do atoleiro moral, ou vamos ficar patinando eternamente? Não sei. Uma perspectiva otimista diria que levaríamos décadas para chegarmos a um nivel normal de corrupção e a retomada de valores éticos. E ainda temos contra nós o fato de que a desonestidade está crescendo em quase todo o mundo. Mas… não existe aquele negócio de que Deus é brasileiro? O que ??? Ninguém mais diz isto? É considerado blasfêmia?

 

 

 

 

 

Eu havia achado estranho que os militares venezuelanos, depois de 16 anos de doutrinação e privilégios, não tivessem se tornado bolivarianistas-socialistas, comunistas -ou sei lá o que – e PERMITISSEM tranquilamente a vitória da oposição. Nenhum articulista brazuca escreveu sobre esse importante aspecto das eleições venezuelanas. Pois bem, poucos dias depois lemos no Globo que :

“As Forças Armadas criticaram a recente retirada de figuras de Hugo Chávez da Assembleia, e disse que “seguem co…mprometidas com absoluta lealdade” com o projeto político de Maduro.
O presidente fez um alarme aos militares, dizendo que a oposição na maioria da Assembleia poderia dissolver as Forças Armadas.”

Isto nos remete ao perigo que estávamos correndo quando o PT resolveu intervir nas três escolas militares que formam os nossos oficiais do Exército, Marinha, e Aeronáutica ( Portaria Interministerial número 1874-A de 8 de julho de 2011). Ninguém vai tocar no assunto em nossa mídia ? Continua proibido falar em militares em nosso país infeliz ?

 

 

 

 

Deu no jornal:

” Banco Central perdeu R$ 89,7 bilhões com intervenções no câmbio em 2015″

Um monte de milionários – aqueles que receberam em primeiríssima mão as informações vindas dos diretores da autoridade monetária: Quando o BC vai entrar no mercado, quantos dólares está disposto a comprar, preços, limites, e mil outras mumunhas. E a matéria é sofisticada demais . Poucos sabem o que se passou.

E o atual presidente da Petrobrás está sendo acusado de ladrão. Nenhuma novidade. Roubou antes, rouba agora e vai roubar amanhã.

Êta povinho brasileiro, quietinho, mansinho, tão cordial, tão alegrinho, tão caloroso, tão pacífico, tão transgeneradinho…

 

 

 

 

 

 


“Nas velhas gerações, o brasileiro tinha sempre um soneto no bolso. Mas os tempos parnasianos já passaram. Hoje, ferozmente politizado, ele tem sempre à mão um comício”.

Nelson Rodrigues

 

 

 

Se eu fosse enforcado na mais alta colina,
Minha mãe, ó minha mãe,
Sei que amor me seguiria ainda;
Se eu fosse afogado no mar mais profundo,
Sei que lágrima me alcançaria;…
Minha mãe, ó minha mãe! “

Rudyard Kipling

 

 

25 janeiro, 2016 às 11:18

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *