Ainda a entrevista da Miriam Leitão e alguns tópicos

Na íntegra da entrevista da Miriam Leitão com o general Rocha Paiva vemos um momento em que ela repete o que aprendeu assistindo TV dos Estados Unidos:

“Não estou aqui para responder. Estou para fazer perguntas. Eu  pergunto, o senhor responde.”

Acontece que lá eles não perguntam: “A sua mãe é prostituta ?” E portanto não recebem de volta: E a sua é ? Isso é que a Miriam, escrava da brainwash, não consegue entender. Ela quer agredir, quer ignorar a resposta, e exige que o entrevistado seja um boneco atento às suas vontades, e alheio às suas ofensas. Ora, Miriam, em qualquer país civilizado você estaria no máximo servindo cafezinho na redação.

E vejam como o general ficou surpreso com a agressividade:

ROCHA PAIVA: Não é um programa de debate?

Miriam : Não. Eu não estou debatendo com o senhor. Estou apresentando questões  que são colocadas por pessoas que discordam do…

Ora, o que ela mais faz é debater quando lhe convem. É só ler a entrevista. Mas no momento em que ficou encurralada saiu-se com essa de “entrevistadora”.

Eu gostaria de fazer um paralelo entre a Oriana Fallaci e a Miriam. Bem, não fiquei louco e quero apenas mostrar que talvez a Miriam tupiniquim esteja tentando imitar o estilo da outra, agressiva, mas com classe. Ela debatia, discutia, e nunca se escondeu no papel de “entrevistadora”.  O interessante é que no fim da vida mudou radicalmente de lado. Saiu da esquerda e passou para a direita. O blog tem uns dois artigos a respeito daquela que foi a maior jornalista dos nossos tempos:  O primeiro publicado no dia 24/08/10,  clique em cima : Oriana Fallaci escreve (sem pensar duas vezes) sobre a violência islâmica -Primeira parte- comentário do blog     e   em 28/08/10, clique em cima:     Oriana Falllaci escreve sobre a violência do IslãSegunda Parte

 

                 OBAMA CONTINUA PEDINDO DESCULPAS

Tropas americanas no Afeganistão queimaram o Corão. Ainda está sendo investigado, mas parece que prisioneiros para se comunicarem usavam os livros para trocar senhas. Todos vimos na TV a revolta, o ódio dos afegãos. Até aí, tudo bem. O que aconteceu depois é que foi extraordinário. Forças de segurança afegãs,mataram 6 soldados americanos, em ocasiões diferentes. Não é que Obambi pediu desculpas pela queima dos livros e não exigiu desculpas do governo de Kazai pelas mortes traiçoeiras?  Esse moleque não tem a menor noção da grandeza do seu país. Os Estados Unidos estão gastando bilhões de dólares na reconstrução do Afeganistão, além de centenas de bilhões na luta para que eles não continuem escravos dos taleban, e as tropas que eles estão treinando são dessa qualidade moral.  Bem que os russos avisaram. Depois do acontecido é que ficamos sabendo que 20% das mortes dos aliados foram praticadas por esses supostos soldados que irão garantir a segurança de seu país quando os americanos forem embora. Claríssimo que as tropas não podem sair, ou se sairem precisam continuar bombardeando com aviões e drones, sem se importarem tanto com as baixas civís.

          A DILMA DISSE OBRIGADO     AO INVÉS DE OBRIGADA  ?

Foi o que eu ouvi, quando a Dona  estava chorando em frente do microfone. Será que me enganei ?  Já que é semi-analfabeta, do tipo de dizer menas, e a gente vamos, é possivel. Foi na cerimônia em que despediu o ministro da PESCA ( perdemos a noção do ridículo). Engraçado parece que esse não estava roubando, um fato inédito na história do governo da Dilma. Quer dizer, ninguém sabe.

                                             A CRISE MILITAR

Os militares ainda têm medo da sua impopularidade entre os civis por causa da demora em entregar o poder a partir de 1964. Perguntei ao coronel da FAB, adido militar na embaixada em Pequim, porque as fardas haviam sumido das ruas. Simplificando sua resposta: os militares acham que o povo não gosta deles. Fiz a mesma pergunta para um capitão do exército, no Brasil. A mesma coisa. Perguntei para dois generais, e eles enrolaram mas no final era isso mesmo. Por que os Clubes Militares não encomendam uma pesquisa de opinião ? Eu, que converso com muita gente na rua, estou vendo é o contrário. 

 

 

 

 

3 março, 2012 às 01:58

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (2)

 

  1. Silvio Mota Lima disse:

    A FGV fez uma pesquisa, recentemente.As Forças Armadas estão na 2a. em termos de confiança da população.

  2. claudiomafra disse:

    Está dificil saber. São muitas as pesquisas e os resultados contraditórios. Em alguns lugares eu vi que elas estão em primeiro com 72%, e em segundo lugar a Igreja Católica, com 58%, e em outros as Forças em segundo e até em terceiro, com a Igreja em segundo e os bombeiros em primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *