Alah é grande!

——————–

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=vyExaO4jzD0]

——————–

img_12_05_2010_001

Esta não é a primeira vez para Lars Vilks, que tem um histórico de violências por parte dos muçulmanos.  Dezenas de pessoas já foram presas por esse motivo. A Al Qaeda ofereceu 100 mil dólares de recompensa por sua cabeça e mais alguma coisa pela cabeça do seu editor. É , sem dúvida, um sujeito muito corajoso. (nota do blog)

ESTOCOLMO – O cartunista sueco Lars Vilks, que enfureceu muçulmanos do mundo todo com um desenho retratando o profeta Maomé, foi agredido nesta terça-feira quando dava uma palestra sobre liberdade de expressão na Universidade de Uppsala, a 70 quilômetros de Estocolmo, na Suécia. Um vídeo do incidente foi divulgado em sites suecos, mostrando um auditório onde um grupo estava exaltado, de pé e gritando. A polícia estava na frente do auditório, e uma agente usou gás pimenta contra um homem.

” Ele me deu uma cabeçada, caí contra a parede e perdi meus óculos ”

Vilks, que em 2007 retratou Maomé com o corpo de um cachorro, disse ter sido agredido por um homem na primeira fila do auditório da Universidade de Uppsala, a cerca de 70 quilômetros de Estocolmo.

– Ele me deu uma cabeçada, caí contra a parede e perdi meus óculos – relatou Vilks à agência de notícias TT, acrescentando que não se feriu.

O vídeo mostra principalmente o que aconteceu depois da agressão ao cartunista. Em meio ao tumulto, ouve-se uma mulher gritar a frase “Allahu Akbar” (“Deus é grande”, em árabe).

A imprensa sueca disse que o incidente aconteceu depois que Vilks começou a exibir um vídeo envolvendo imagens sexuais e religiosas. O vídeo, divulgado no site do jornal Aftonbladet, mostra que o clipe de Vilks se chamava “Allah ho Gaybar” (trocadilho da frase “Allahu Akbar” com a palavra “gay”). A polícia de Uppsala disse que duas pessoas foram presas.

Vilks já havia afirmado que era vítima de ameaças de morte por causa da caricatura de Maomé. Em março, uma americana apelidada de “Jihad Jane” foi indiciada por um plano para matar o cartunista e buscar cúmplices pela Internet. Em janeiro, um somali foi acusado de ter invadido a casa de outro cartunista que retratou Maomé, o dinamarquês Kurt Westergaard, e de ameaçá-lo com um machado.

Por causa de uma caricatura feita em 2005 por Westergaard, que trazia Maomé com um turbante em forma de bomba, muçulmanos de todo o mundo realizaram protestos que deixaram pelo menos 50 mortos no Oriente Médio, na África e na Ásia.

A maioria dos muçulmanos considera ofensiva qualquer representação gráfica de Maomé.

(publicado no O Globo em 12 de maio de 2010)

12 abril, 2010 às 21:36

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (2)

 

  1. Juan disse:

    Alterar a figura humana de qualquer pessoa comum é, crime no mundo. “ESTELIONATO”

    Fazer uma caricatura de um ser iluminado por (ALLÁH), é muito grave, qual a razão dos
    não muçulmanos, assediar tanto os religiosos ?

    Defendemos nosso profeta, (Que Alláh o tenha) !

    Respeitamos todas ás religiões e, seus profetas, façam o mesmo conosco…

    petroleorio@hotmail.com

    • claudio mafra disse:

      Até que eu acharia ótimo se os muçulmanos respeitassem o cristianismo, o budismo, o judaismo, o hinduismo e outras religiões. Acontece que somos chamados de “cães infieis” e o objetivo dos mais ativos no islamismo parece que é o de acabar conosco. Até que eu acharia ótimo se os clérigos “moderados”, na Europa, se esforçassem no sentido de conscientizar a sua mocidade no sentido de maior tolerância, mas não me parece que isso esteja sendo feito.Nós, que vivemos na América Latina(principalmente),não estamos sentindo o medo que tomou conta dos europeus e dos norte-americanos.
      Em grande parte do Ocidente existe liberdade de imprensa, e não queremos ficar sem ela. Já no mundo muçulmano, vamos ver, começando por … deixa pra lá. vejamos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *