As Mães Humilhadas e um texto de Ann Coulter (traduzido)

539mães

Mães humilhadas

Era só o que faltava ! Vejam as mães americanas vestidas com essa roupa ridícula, se humilhando para poderem ver os filhos que foram presos pelos psicopatas iranianos. Que cena patética, e que foto maravilhosa. Eram alpinistas que cruzaram, sem querer, a fronteira do país dos malditos aitolás.  Se eu acredito que foi mesmo sem querer ? Acredito, embora a maioria dos brasileiros, infelizmente com a cabeça feita contra os Estados Unidos, deva pensar que são mesmo espiões. E um alienígena, que pousou aqui em casa ontem de manhã, me disse que esse país que prendeu os três rapazes deve ser poderosíssimo,  que essas mulheres é claro que nasceram em um lugar muito pobre, sem nenhum poder, um país desarmado que é obrigado a se curvar perante o outro. Diga-me, caro leitor, se amanhã os Estados Unidos bombardearem as usinas atômicas iranianas o que é que vai acontecer ? Gritaria mundial protestando. E daí ? China e Rússia propondo uma sanção na ONU contra o ato americano . Sim, muito bem, e depois ? Nada . Alguma retaliação militar por parte de alguém ? Nunquinha, os outros países são uns molequinhos tentando brigar com o Mike Tyson. Estão DESARMADOS, e os EUA, se encontram ARMADOS ATÉ OS DENTES.  A Rússia mandaria os seus velhos foguetes ? Prá que ? Por causa do Iran ?!!!  Absurdo. Se os Estados Unidos estivessem cuidado da sua imagem, se fossem um país muito popular, muito querido, até se compreenderia que ATÉ AGORA não tenham tomado nenhuma providência contra os ditadores iranianos que ameaçam o mundo com a bomba atômica.  Mas, são odiados em todos os cantinhos do planeta, não têm  absolutamente nada a perder nesse jogo de custo-benefício. Poderiam , isso sim, dar uma banana para o resto do mundo, que se encolheria e diria : YES SIR!  O que ? Aumentaria o terrorismo ? De que jeito ? Os caras estão tentando tudo há muito tempo, não vai ser bomba no Iran que vai resolver o problema de eficiência deles. E, muito pelo contrário, o Iran patrocina o terrorismo. Depois das usinas reduzidas a sub-extrato de pó de mico os outro países refreariam seus impulsos para o terror, justamente por medo de serem atacados. Síria, Líbano, Coreia do Norte,Venezuela, todos tirariam nota 10 em comportamento no próximo ano, podem crer. E a China ficaria quietinha. Fazer o que ? Os Estados Unidos deveriam bombardear sem avisar e sem grandes explicações. No outro dia os europeus estariam de boca aberta: Nosso antigo salvador parece que voltou!

AC

Foi preciso que  Faisal Shahz (o terrorista incompetente e covarde que entregou todo mundo sem levar um tapa) tentasse colocar um carro bomba na Times Square para que Presidente Obama, o Procurador Geral Eric Holder, e a Secretaria de Segurança Interna, Janet Napolitano, finalmente usassem a palavra “Terrorismo”. (E não foi com referencia aos ativistas do Tea Party!)

 – “NÃO, NÃO, NÃO !.. Quando o PONTEIRO MAIOR estiver no 12 e o MENOR....."
Os dois muçulmanos tristes : "Nós explodimos todos os inteligentes muito tempo atrás".
Na camisa do debiloide que está segurando o relógio : Você não me pega, olê, olê olá "

Esta é uma mudança política enorme para um presidente que passou um mês dizendo ao povo Americano para não “tirar conclusões precipitadas” depois que a imprensa noticiou que o médico do exército, Nidal Malik Hasan, pulou em cima de uma mesa e gritou “Allahu Akbar!”( Alah é Grande) e começou a disparar em Forte Hood.

Sabemos que Obama está levando a serio a questão do terrorismo porque ele fez um intervalo no seu tour de comédia “Hope, Change & Chuckles” (“Esperança, Mudança e Risos”)  para denunciar terroristas.

Com uma postura mais “Macha” , Obama declarou que – ao contrario dos desejos dos terroristas – ” nós os americanos, não seremos aterrorizado, não nos acovardaremos, e não seremos intimidados”.

Seria um pouco mais fácil para nós não vivermos em pânico se toda a estratégia de segurança nacional do presidente não dependesse dos cidadãos comuns que notaram uma SUV (camionete)na Times Square ou  a fumaça vindo da genitália do passageiro de avião ao lado. ( esse episódio não foi muito comentado no Brasil)

Mas depois do carro-bomba, da fralda-bomba, e do atirador do Forte Hood, está ficando cada vez mais claro que a única estratégia de defesa nacional de Obama é:  Esperemos que as bombas não funcionem!

Se apenas a arma do Dr. Hasan tivesse emperrado lá no Forte Hood, isso teria sido mais um grande sucesso de política externa pro Obama.

A estratégia dos dedos cruzados da administração é uma continuação do último e menos bem sucedido plano de Obama: “Vamos faze-los amar-nos!”

No último ano, Obama se desculpou repetidamente aos Muçulmanos pelos “erros” dos EUA.

Ele pediu desculpas ao Irã pelo fato do Presidente Eisenhower ter retirado o tratante Mohammad Moossadegh do poder,  antes que Mossadegh transformasse um país comparativamente civilizado em um buraco dos infernos de Terceiro Mundo. Exatamente como os Aiatolás  fizeram a partir de 1989  ( esse episódio , muito controvertido, aconteceu em 1953, e Mossadegh foi um dos primeiros líderes de “países não alinhados” o que teóricamente queria dizer que na Guerra Fria eles não estavam nem do lado dos EUA e nem do lado da URSS. De fato começavam com nacionalizações, e depois pendiam para o lado comunista.)

Ele pediu desculpas ao mundo muçulmano pela colonização francesa e inglesa – ou seja, por haverem construído banheiros com descargas.

Ele prometeu fechar Guantanamo. Ele ordenou que o mentor do 11/09, Khalid Sheik Mohammed, fosse julgado no mesmo tribunal que a Martha Stewart (é uma apresentadora de televisão e empresária americana, muito doce, muito feminina. Em março de 2005,  Martha teve sua prisão decretada por envolvimento com fraude e outros possíveis crimes relacionados a investimentos na ImClone Systems, uma companhia de biotecnologia dirigida por um amigo.)

Obama fez também o “tour da curva de 90-graus” pelo Oriente e Médio Oriente. (referência á curvatura ao Imperador do Japão, ao beija-mão do rei na Árabia Saudita, e outros rapapés). Para a sua próxima visita, ele planeja deitar e rolar e ter sua barriga acariciada como o Fido.(cãozinho docil)

Apesar de ter tido comentários favoráveis no New York Times, nada disso surtiu efeito para acabar com o terrorismo Islâmico.

Então agora eu concluo, comigo mesmo, que a nossa única estratégia é a esperança de que as bombas dos terroristas continuam dando errado.

Não existe outra linha de defesa. No caso do carro-bomba da Times Square, o Departamento da Segurança Interna falhou, o Serviço de Naturalização e Imigração falhou, o CIA falhou e o TSA (Administração da Segurança de Transporte) falhou.  (Todavia, o Departamento de Alerta dos Vendedores de Camisetas ajudou excepcionalmente, como sempre.)

Apenas o Departamento de Policia de Nova York (NYPD), um vendedor de camisetas e a bomba estilo Rube Goldberg,  do terrorista Shahzad (espero que ele não se ofenda com o quão judaico isto parece – Obama pode pedir desculpas) conseguiu evitar uma grande explosão na Times Square. ( Rube Goldberg foi um consagrado cartunista americano, judeu, que fazia  máquinas complexas para tarefas simples)

Rubenvent

Até depois que o NYPD desativou o carro-bomba  e produziu informações suficientes sobre a identidade do criador da bomba, e as entregaram para o Governo federal enroladinhas com um laço, a  infalivel lista do “não viajar” do governo federal  não funcionou no sentido de evitar que Shahzad pegasse um avião para Dubai.

 

Para sermos justos, no Emirates Airlines, estar na lista do “não viajar” faz você ser elegível para os que têm preferência no embarque, ao lado de idosos, grávidas, etc.

Talvez o Departamento de Segurança Interna devesse considerar a criação de uma lista do “Realmente, REALMENTE não viajar”.

Ao contrário das desculpas mentirosas feitas pelo governo federal em todas as redes de televisão, agora ficou claro que não houve um plano astuto dos investigadores federais para deixar Shazad embarcar no avião para então apanhar seus provaveis co-conspiradores. Foi  simplesmente um erro que quase deixou Shahzad escapar.

Entretanto, no mesmo dia, no aeroporto JFK, aproximadamente 100 mil passageiros removeram seus sapatos, casacos, cintos e óculos para a segurança do aeroporto.

Mas a “força federal altamente treinada” que o New York Times nos prometeu em 28 Outubro de 2001, quando o jornal demandou que a segurança do aeroporto deveria ser federalizada, falhou em detectar o único homem que eles realmente precisavam prender no JFK  – aquele que implantou uma bomba no meio da Times Square dias antes.

Então por que o TSA ( Adminsitração de Segurança de Transporte) encheu o saco de 100 mil outros passageiros?

O governo federal não conseguiu impedir que  o homem da fralda-bomba  quase detonasse uma bomba sobre Detroit.

Se a nossa única defesa contra terrorismo for contar com civís alertas, então o que vocês acham de não encher o saco deles antes de embarcar nos aviões, ao invés de assediá-los com procedimentos de “segurança” inúteis?

Os dois homens das bombas que se deram bem com a segurança do aeroporto, eu enfatizo, foram homens jovens de religião Islâmica. Eu me pergunto se nós deveríamos desenvolver um plano baseado nesta informação.

E falando em uma “força federal altamente treinada” quem está trabalhando no INS ( Serviço de Imigração e Naturalização) hoje em dia? Quem neste mundo decidiu dar para Shahzad o privilégio de se tornar um cidadão americano ano passado?

Nossas políticas imigratórias do tipo  “Europeus Não Precisam Preencher Fórmulas na Imigração” eram absurdas o suficiente antes do 11/09. Mas após 19 muçulmanos terem sido legalmente admitidos nos EUA, matarem 3 mil americanos em Nova York, Washington e Pensilvânia em um único dia, não deveríamos ser mais rígidos com as nossas políticas de admissões quando nos referimos aos povos cujos países ainda apedrejam as pessoas e fazem clitorectomias?

O  NYPD ( Departamento de Polícia de Nova Yorque) não pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

Tradução: Andréa Borges

22 maio, 2010 às 11:02

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (3)

 

  1. anselmo castro disse:

    Fantastico,sou cidadão Americano,tradutor e intérprete,Boston University, e leitor de Ann Coulder de quem sou fã há muito tempo ,sempre quis que os brasileiros tivessem contato com os textos da autora mas achava que não valia a pena traduzi-los já que além de não entendê-los mesmo traduzidos os brasileiros não se interessariam talvez devido ao anti-americanismo que parece estar em voga em certas camadas da população brasileira,vivo nos USA há 20 anos,e concordo com tudo que esta no blog,e parabenizo a Andrea Borges por esse Great job keep up the good work,excellent tranlation of a not so easy text,and drop me a line when you have a chance i would love to get to know you more. Anselmo ,em BH,MG,Brasil.

  2. anselmo castro disse:

    Fantastico, sou cidadão Americano, tradutor e intérprete, Boston University, e leitor de Ann Coulter de quem sou fã há muito tempo, sempre quis que os brasileiros tivessem contato com os textos da autora mas achava que não valia a pena traduzi-los já que além de não entendê-los mesmo traduzidos os brasileiros não se interessariam talvez devido ao anti-americanismo que parece estar em voga em certas camadas da população brasileira,vivo nos USA há 20 anos,e concordo com tudo que esta no blog, e parabenizo a Andrea Borges por esse Great job keep up the good work, excellent tranlation of a not so easy text, and drop me a line when you have a chance i would love to get to know you more. Anselmo ,em BH,MG,Brasil.

    • Claudio Mafra disse:

      Muito obrigado por todos os elogios, Anselmo. Andrea é minha filha,e vou retransmitir o seu comentário. um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *