As sentenças do juiz Moro e o perigo da corrupção; Tópicos

 

 

É certo que a delação premiada abalou o País e está levando Dilma e Lula ao inferno, isto não se discute. Nunca se tinha visto nada igual: figurões indo para a cadeia. Palmas para os procuradores, delegados, juízes. Mas…o cara pega 32 anos de prisão, o outro 20 anos, e já vão para a rua, ou entendi mal? Ou pegam 5 anos, já ficaram 3 (indo dormir em casa) e assim só restam 2 e sei lá se ficam mais um dia sequer. Lendo a sentença é difícil para um leigo dizer o que acontece. Na mídia eles continuam super condenados, mas ao mesmo tempo diz o Estadão:  ” AS PENAS FORAM SUSPENSAS”. ???

Quem avalia o valor da delação e subsequente redução da pena ? Só o juiz Moro ? Vejam, abaixo, como o juiz enfatiza algumas vezes a colaboração dos réus e o instituto da delação premiada. Os réus continuam milionários, ninguém se iluda, não foram descobertas todas as suas contas no exterior, isto seria ingenuidade. E, se continuam milionários, ainda podem comprar muita gente… Entenderam ?

No trecho abaixo o réu é Youssef, mas o jargão jurídico não difere quase nada com respeito ao Paulo Roberto e outros.

“A efetividade da colaboração de Alberto Youssef não se discute. Prestou informações e forneceu provas relevantíssimas para Justiça criminal de um grande esquema criminoso. Embora parte significativa de suas declarações demande ainda corroboração, já houve confirmação pelo menos parcial do declarado. Além disso, a renúncia em favor da Justiça criminal de parte dos bens sequestrados garantirá a recuperação pelo menos parcial dos recursos públicos desviados, em favor da vítima, a Petrobras” .  nota do blog:  “recuperação parcial” é, no mínimo, absurdo.

“…… Adoto, portanto, as penas acertadas no acordo de colaboração premiada. As Penas superam trinta e dois anos de reclusão. Essas decisões transitaram em julgado para a Defesa. O acordo de colaboração previu, na cláusula 5º, II, que, após o trânsito em julgado das sentenças condenatórias que somem o montante mínimo de trinta anos de prisão, os demais processos contra Alberto Youssef ficariam suspensos.

Assim, na linha do acordo entre a Procuradoria Geral da República e Alberto Youssef, assistido por seu defensor, com homologação pelo Supremo Tribunal Federal, suspendo, em relação a Alberto Youssef, a presente condenação e processo, em relação a ele a partir da presente fase. Ao fim do prazo prescricional, será extinta a punibilidade. Caso haja descumprimento ou que seja descoberto que a colaboração não foi verdadeira, o processo retomará seu curso.

Registro, por oportuno, que, embora seja elevada a culpabilidade de Alberto Youssef, a colaboração demanda a concessão de benefícios legais, não sendo possível tratar o criminoso colaborador com excesso de rigor, sob pena de inviabilizar o instituto da colaboração premiada. “

 

 

 

A Maria Lucia Victor Barbosa escreveu esta bobagem a respeito do apelo do Lula e do Rui Falcão para que o PT resista nas ruas:

“Sinto no ar, da parte do PT e do seu chefão Lula, um cheiro de nazismo. As tropas de choque dos camisas pardas intimidavam o povo nas ruas da Alemanha…”

Êta, Maria Lúcia!. Sempre o nazismo! A cor das bandeiras dos caras do PT é VERMELHA, Maria Lúcia! Muitas levam a foice e o martelo. Eles são do time exatamente oposto ao do nazismo! Mesmo que …supostamente correta – porque está se referindo aos grupos armados percorrendo as ruas – a imagem dos camisas pardas NÃO PODE SER USADA. Que dificuldade, nossa! Os camisas pardas saíam às ruas batendo principalmente na turma do Lula: quer dizer, a imagem histórica é capenga, está errada neste contexto totalmente político. Nazistas (camisas pardas) e comunistas se enfrentavam nas ruas da Alemanha. Os comunistas perderam, o que não quer dizer que o nazismo fosse bom, mas é necessário usar exemplos históricos corretamente. A melhor fonte para violência de petistas está nos 45 anos de bárbara repressão comunista nos países do Leste Europeu. Não percebem que é muito mais racional ? Não adianta: quando falam na violência petista vão atrás do nazismo. Nem sei como ainda leio tanta burrice. Só pode ser falta do que fazer.

 

 

O Lula não disse “eu chamo o exército do Stédile” ? Ele já deveria ter dado ordens de mobilização ao seu marechal-de-campo. É inadmissível que esteja depondo na operação Lava-Jato na condição de investigado e as tropas dos companheiros do MST ainda estejam desmobilizadas. Não há tempo a perder.
Aux armes citoyens
Formez vos bataillons

9 março, 2016 às 18:57

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (2)

 

  1. Um patriota disse:

    Caro Mafra

    Pode parecer absurdo ante a desinformação reinante, mas o nacional-socialismo (ou nazismo) era de esquerda! Sempre foi de esquerda, jamais esteve na direita, seja em termos de costumes/valores, seja em termos econômicos.

    Direita significa estado mínimo, liberdade econômica, liberdade individual e valorização dos costumes/religião. Nada disso se enquadra no nazismo, assim como no comunismo.

    Nazismo e comunismo eram muito parecidos, irmãos siameses de um mesmo ventre marxista. O nome inicial do partido nazista (o famigerado NSDAP) seria Partido Revolucionário Socialista segundo as intenções iniciais do próprio Hitler. A principal diferença ideológica entre eles era a abrangência pretendida, o comunismo era internacionalista (e por isso via com desdém a cultura e as peculiaridades nacionais) e o nazismo era radicalmente nacionalista (super valorização da cultura nacional e até da “raça” do povo – em que pese o fato de que o conceito de raça dos nazistas era distinto da ciência).

    Luta de raças e luta de classes são no fundo a mesma coisa, é o famoso o “nós contra eles” ou ainda “dividir para conquistar”. Para os comunistas, a desgraça da sociedade eram os burgueses que infelicitavam os trabalhadores. Para os nazistas quem assumia tal horrendo papel eram os judeus, nada coincidente também vistos como burgueses. Em ambos os casos os inimigos públicos eram mero truque publicitário para agregar a população ao entorno do governo e de sua pauta na luta empreendida.

    Cita-se como exemplo o caso do integralismo brasileiro. Para os integralistas o estado ocupava a posição central na vida da sociedade e na economia. Tudo passava pelo estado e se destinava por fim ao estado. A exemplo dos nazistas, para os integralistas, a “raça brasileira” seria melhor ou mais forte que as demais devido a miscigenação, tanto assim é que o símbolo maior dos integralista era o sigma, a soma das raças.

    A luta nazismo/comunismo na segunda guerra não ocorreu de motivos ideológicos, mas sim porque Hitler queria chegar aos Urais e Stálin ao Tejo (e daí para o mundo). Hitler invejava Stálin, especificamente o poder que este obteve sobre os Generais do Exército Vermelho, coisa que Hitler jamais conseguiu.

    Nazismo e fascismo (parecidos, ligeiramente distintos), assim como comunismo e socialismo, são todos correntes da própria esquerda. Isto não quer dizer que sejam pacíficos entre si. Muito ao contrário. A esquerda é e sempre foi fratricida e a imensa maioria dos 100 milhões de mortos pelos regimes soviético e maoísta eram comunistas de corpo e alma.

    os maoístas chineses e os soviéticos russos quase detonaram entre si a 3ª guerra mundial (mas chegaram a lutar de fato entre si no Vietnã e no Camboja após a saída dos EUA daquele teatro de operações). Mas nem por isso é possível afirmar que soviéticos e maoístas era antípodas ideológicos…

    O fato de nazismo e comunismo terem se digladiado esconde o fato de que começaram a guerra como fortes aliados que atacaram em conjunto a Polônia em 1939, dividindo-a entre si após a conquista. O fato de Hitler ter traído a aliança em 1941 é um motivo por demais pobre para catalogar tais regimes como antípodas ideológicos.

    Petistas são mesmo muito parecidos com fascistas, nazistas, comunistas e socialistas. Que todos vão para o inferno!

    • claudiomafra disse:

      Muitíssimo interessante o seu comentário, além de uma redação impecável. Tive alguns tios integralistas e vc. me refrescou a memória com respeito à superioridade de nossa raça mestiça. Conheci Plínio Salgado, ligeiramente, e me lembro que tinha o dom do discurso. E o sigma! Minha mãe tinha horror aos integralistas e citava uma frase ameaçadora que seria deles, que ela teria ouvido em S.Paulo, enquanto passava amedrontada pela manifestação: “Ai até dos indiferentes!” Imagino que também é importante com respeito ao nazismo o fato de que naquela época a democracia estava em declínio como regime. Os atalhos que a a ditadura proporciona seduziam a Europa e o mundo. Obrigado, um abraço, e apareça sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *