Bolsonaro

Esse episódio do Bolsonaro é um escândalo de má fé, de hipocrisia, e do acachapante politicamente correto. A imprensa, quase toda ela esquerdista, está deitando e rolando: ” A indignação que varre o País  não encontra adjetivos suficientemente adequados para se expressar…”. Nossa. Esta frase é realmente gongórica. Tem-se a impressão de que perdemos uma copa do mundo porque o juiz roubou.

O povo não está dando a mínima para que o Bolsonaro disse ou deixou de dizer.  É uma mentira que os brasileiros estejam indignados. Indignados por quê ? O Brasil branco finge que aceita os negros, finge que não é anti-semita ( os negros ainda não sabem bem o que é um judeu, portanto ainda estão fora), e todo mundo é contra os gays. Mas tudo veladamente. Na pesquisa de porta em porta vamos ter a melhor das estatísticas. Ninguém é bobo de revelar oficialmente o que pensa. Entre os homens o que mais existe é piada de gay, “acusação” de gay – sendo verdade ou de brincadeira – e por aí afora. É tudo tão repetitivo, tão chato, que só mesmo uma obsessão para que se continue a explorar o assunto. Parece que no Brasil desprezar os gays faz parte da cultura masculina. Quem negar esse fato ou vive trancado dentro de um quarto, ou trancado dentro de uma universidade, ou é um mentiroso.

Parece que Bolsonaro foi até enganado. Respondeu uma coisa pensando que a pergunta fosse outra. Não interessa, porque o que está em jogo é algo muito maior : a liberdade de expressão. Fala-se na cassação de seu mandato. Um Congresso de ladrões, de pilantras, uma verdadeira casa de tolerância, entupida de escândalos, totalmente desmoralizada perante o povo, e vamos escolher um judas porque ele é: ” um preconceituoso, que estimula condutas antiétnicas fronteiriças ao nazismo”. É demais. Cuidado, porque o povo brasileiro todinho pode estar sendo chamado de nazista. E também é amedrontador. Precisamos de cautela. Roubar faz parte do nosso jogo, mas chamar alguém de cego ao invés de “deficiente visual” vai dar cadeia. A palavra negro também pode ser proibida. Vamos colocar o “afro brasileiro” rapidinho em nosso vocabulário. As pessoas vão demorar a se acostumar, mas isso vai liquidar com o nosso racismo. Problema resolvido.

Bolsonaro disse que não aceitaria ser operado por um quotista. Eu também. Vamos mais longe ainda: Se fosse colocada uma urna na companhia aérea, perguntando se naquele vôo Rio- Nova Yorque qual seria a sua opção: um piloto homem, ou uma mulher, quem ganharia por grande maioria ? Eu tenho certeza de que não seria a mulher. Se os homens já não tem confiança ao vê-las dirigindo carros, imagine pilotando um avião. No caso de um passageiro medroso dizer publicamente que não confia na comandante de seu vôo ele vai ser processado? E o que ele pensa é realmente importante ? As mulheres vão ficar ofendidíssimas, além de perderem uma imensa possibilidade de emprego ? Por falar nisso acho que deveriam ser processadas as morenas que contam piadas de louras burras. Racismo intoleravel.

4 abril, 2011 às 19:37

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (6)

 

  1. Ari disse:

    pois é… e até onde soube.. Bolsonaro só tinha dito a verdade.
    hoje em dia é proibido dizer a verdade. Tinha me esquecido.

  2. Chico Pompeu disse:

    Grande Cláudio!
    Bolsonaro falou como o brasileiro típico. Sua entrevista na TV Uol foi elogiada pela maioria dos comentaristas. Já a esquerdalha dominante nos meios de comunicação pediu o fígado, o sangue e o cérebro do deputado.
    Homofobia! As fobias são doenças que fazem sofrer seus portadores. Há pessoas que têm medo de altura, os acrófobos, outros têm pânico em espaços abertos, os agoráfobos, uns têm terror em espaços fechados, os claustrófobos. Há outras dezenas de fobias descritas em manuais médicos. Por que querem punir uma dessas doenças(ainda não caracterizadas), a homofobia, com a prisão? Se uma pessoa fica horrorizada com manifestações públicas de sodomia a polícia deve prendê-las em lugar de prender os sodomitas? Aprisionar um claustrofóbico em espaço fechado não seria qualificado como tortura? Os gays têm o direito de expor suas práticas sexuais ao público, às famílias, aos cidadãos? Os gays têm algum estatuto superior ao cidadão heterossexual? Os homofóbicos poderão recorrer ao SUS para tratamento médico para que possam apreciar e admirar a sodomia, o beijo entre machos barbudos? Ora tenham paciência! Acabo de saber que o deputado Rodrigo Maia está sendo um dos principais defensores da legislação maluca que tenta caracterizar uma nova doença, a homofobia, e, absurdo, cria punições para os doentes. Socorro!
    Grande abraço!

    • claudiomafra disse:

      Grande Chico!
      Algumas vezes já coloquei no blog o que penso ser um fenômeno único e mundial: os mais inteligentes, os mais escolarizados, estão errados. O sonho socialista e o horror ao capitalismo continuam, mesmo após a queda dos soviéticos. Claro que se apresentam de uma forma muito mais moderna. Uma variante dessa tendência de “bondade e fraternidade”, que seria uma oposição ao capitalismo, é a tendência a aceitar qualquer bobagem, tolerar qualquer desvio de conduta do senso comum, e aplicar normas supostamente justas, quase sempre transferindo a culpa do outro para nós mesmos. Como o socialismo é totalitário, os praticantes da sua 3a.via, 4a.via, são totalitários, e querem nos colocar em uma camisa de força. Não conseguiram abolir a iniciativa privada, perderam a luta, mas criaram outras formas de intervenção em nossas vidas. Continuam desejando um estado grande que sufoque a individualidade, sufoque as nossas liberdades. Criaram o politicamente correto – que é uma das maiores desgraças dos últimos tempos – nascido e desenvolvido nas melhores universidades dos Estados Unidos. A solução terá que vir deste país. É assunto para muita, muita, conversa.
      Um abraço.

  3. Gabriel Nunes disse:

    Não concordei com essas frases:

    “O Brasil branco finge que aceita os negros, finge que não é anti-semita ( os negros ainda não sabem bem o que é um judeu, portanto ainda estão fora), e todo mundo é contra os gays.”

    “Parece que no Brasil desprezar os gays faz parte da cultura masculina”

    O Brasil atingiu um nível de miscigenação absolutamente fantástico, nenhum outro país do mundo conseguiu isso que nós conseguimos, é um orgulho para nós brasileiros. Em suma, não somos racistas!

    Desprezar gays não é o termo adequado, porque os gays estão a todo vapor trabalhando e estudando em tudo quanto é canto sem tomar pé na bunda desde que eu me entendo por gente. Nós fazemos muita piada de gay, mas fazemos piada de tudo quanto há neste país, inclusive de nós mesmos, logo, acredito que isso não é desprezo aos gays.

    • Claudio Mafra disse:

      Obrigado pelo comentário, Gabriel. A miscigenação é um fato incontestável, mas não invalida o que eu disse. Pode ser um bom argumento para melhor situar a questão. Quanto aos gays, as piadas falam por sí, não existe atenuante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *