Carta resposta para um diplomata de esquerda – tempos de Bush

Quando Juarez Távora e Juscelino disputaram a presidência da república eu era um garotinho. Na minha casa iam votar no Juscelino. Mesmo assim entendi perfeitamente que outras pessoas inteligentes poderiam preferir o Juarez. Aceitei a escolha  com naturalidade, sem achar que elas estivessem sendo enganadas, ou ficado burras de repente. Eu considerava o Juscelino muito melhor. Só isso. Não havia nada de profundamente errado com o Juarez.  

Os tempos mudaram, e hoje eu não tenho a menor paciência para os votos que o Lula recebeu das pessoas que eu considero bem informadas.  Só o “lulinha, paz e amor” já conta a mediocridade do que vivemos. Não adianta tentar explicar a história desse slogan. Ele está escrito na entrada do hospício brasileiro. Imagino um “juscelininho, paz e amor”. O sonho socialista segue grudado na alma das pessoas. Continuam inconformadas com um mundo de patrões e empregados. Querem a terceira via, a quarta via, qualquer via. Gostam de se julgar sonhadores derrotados em seus sonhos,  charmosos poetas lutando pela esperança. Não perceberam, até agora, que  são mesmo é amantes da violência, nostálgicos do che guevara, macacas de auditório do allende e continuam dando charme a trotsky, stalin, mao, fidel, patricio lumumba, la pasionara, kolmeini, mitterrand, vietcongues (se você visse as armadilhas dos vietcongues, pensaria no uso que a esquerda faz da convenção de Genebra), e, agora, essa curiosidade: o índio boliviano! Entenda o seguinte: não é socialismo x capitalismo, mas socialismo x liberdade.

Como eram inteligentes os meus colegas atrasadões que se sentavam lá atrás, no fundo da sala. Sempre estavam tomando bomba, mas nunca votariam no PT. Isso seria demais.

Tenho grande vontade de saber o percentual de engenheiros que votou no lulalá. Considero um erro acreditar que o cruel entusiasta da violência – o intelectual de humanidades – com suas lamúrias existenciais, iluminismos e comunismos seja superior ao bitolado das ciências exatas. O bitolado inventou o computador, e está nos levando para outros planetas.

Nunca pensaria em tripudiar sobre os que votaram no PT. Se não entenderam antes, por que entenderiam agora ? Sofreram apenas uma decepção, e ficaram decepcionados. Continuarão votando em socialistas, populistas, nacionalistas, lacanianistas, novos baianos.    

Roubar é o segundo esporte favorito dos brasileiros. O roubo dos petistas não foi, de maneira alguma, superior aos dos outros governos. Desde o Médici que a roubalheira é contínua, metódica. Acontece que depois que pensávamos que já tinhamos visto de tudo, surge essa corja, especialmente repugnante por causa da sua  hipocrisia, pela audácia da sua ignorância,  pela arrogância exasperante, pela esperteza burra, e principalmente: sua cafonice. Muito mais aceitável, psíquicamente, ser roubado pelo Armínio Fraga do que pelo zé genoino. Os petistas contaram a maior mentira de toda a história do Brasil. O escândalo foi alguma coisa miserável, porque sepultou de vez qualquer esperança do povo. (por falar em zé genoíno, eu dei uma nota sobre ele que deve ter incomodado. Saiu na coluna do Giobbi. Foi sobre a maneira como o imortal guerrilheiro desembarcou de uma limousine do Partidão na embaixada em Pequim. Se eu tivesse a nota eu enviaria, para seu desgosto).

Os conservadores não podem falar mal do Bush ? Se estão falando é uma confissão de que ferrou tudo? Quer dizer que eles concordam em que o Iraque não deveria ter sido invadido, e que os liberais até que não estão tão errados assim ? Aonde você leu isso ? No NYTimes ? Cuidado com a imprensa. Mais cuidado com a imprensa. Sempre cuidado com a imprensa. Além do mais você está sendo influenciado pela noção de partidos monolíticos, isto é, confundindo o Partido Republicano com o PT. Lá não existe uma luta sagrada, nem comitê central, nem centralismo democrático. O discurso é livre. Sua afirmação também leva a que consideremos que na ocasião em que a Heloisa Helena, e mais uma meia dúzia, discordaram do zênite do pensamento mongoloide, este ficou desacreditado, o que não aconteceu.

Alguns generais estão com raiva porque o Rumsfeld está diminuindo o exército. Quer torna-lo menor e mais eficiente. Os milicos estão pondo a boca no trombone porque menos soldados quer dizer menos comandos, menos promoções, menos prestígio. Aquela história antiga, de quando os almirantes americanos eram contra os submarinos porque esse negócio de ficar debaixo dágua, sem pompa e circunstância, é muito chato.

Cuidado com essa afirmação em cascata sobre o Bush. Você diz que ele “é o melhor presidente para o Iran”. Mas que engano terrível. Ele invadiu o Afeganistão, o Iraque, e só não ameaçou a Síria e Iran porque os liberais dentro dos Estados Unidos não deixariam. É o pior presidente possível para o Iran. Aliás, a palavra POSSÍVEL nesta frase é importante, porque alguém mais belicoso, feito o  Dick Cheney, infelizmente seria barrado logo de saída. Quem seria o presidente que o Iran gostaria de ver no poder? O Clinton, que acabou com o “guerra nas estrelas”, desarmou a CIA e desarmou o FBI? O idiota supremo, Jimmy Carter ? Acho que eles dariam urros de “Alá é grande, por qualquer um que fosse do partido Democrata. Lembre-se que o Kennedy deixou na mão os carinhas que desembarcaram na baía dos Porcos. Em linguagem direta: traiu os caras quando não deu apoio aéreo. Condenou os cubanos a 50 anos de ditadura. Foi pagar caro mais tarde, na crise dos mísseis. Quando podia, sem grandes riscos, não fez. Depois, não teve escolha, e levou o mundo á beira de uma guerra nuclear. Alguém entendeu a lição ? Aplica-se tão bem aos dias de hoje. Pelo visto, não. (Bem, a única lição que pode ser aprendida é: para um democrata tudo é permitido, mas se for um republicano…)

Afinal o que você quer ? Um presidente popular na comunidade internacional? É essa a sua tese ? Cuidado para não levar o prêmio Nobel de ingenuidade. Concordo que um neo-conservador, um republicano seja particularmente antipático para a esquerda, mas não é só isso. Existe essa rejeição fortíssima á hegemonia americana. A união com os USA, na batalha de Kosovo, se deu por dois motivos: 

1) Por estar localizado em solo europeu, o conflito precisava ser resolvido sem maiores adiamentos, (claro, estava na cozinha deles, e aí, não temos esse negócio de muita conversa fiada), e,  por falta de tecnologia, os países europeus não poderiam ganhar a guerra apenas com os bombardeios de precisão. Precisariam colocar tropas em terra, o que talvez representasse milhares de mortes. O sérvios são excelentes soldados, brutais, muito melhores do que os covardes franceses, os desmotivados alemães, os cantores líricos italianos. Dessa forma, a única solução seria deixar os Estados Unidos tomarem conta do assunto.

 2) Os Estados Unidos ainda estavam na onda de haverem derrotado o império soviético, e a vitória espetacular inibia qualquer crítica mais severa. Aceitava-se com mais facilidade o fato de que apenas o Hitty Hawk, um dos porta aviões americanos, tem 70% de todo o poder aéreo mundial. Ah, Europa, Europa, sofisticada Europa, o que seria desse continente sem o socorro constante dos rudes, gananciosos, novos ricos americanos.

Hoje, a Rússia está crescendo, pode se tornar perigosa, e já questiona abertamente os movimentos geo-políticos americanos. É o grande incentivo que os ratinhos do continente sombrio precisavam para também colocar as unhas de fora. A grandeza dos Estados Unidos é humilhante para os esquizofrênicos europeus. Portanto, até um presidente liberal sofreria oposição européia, mesmo se os americanos estivessem (e estão), lutando por suas vidas. Na linguagem grandiosa da Constituição americana: estão lutando “pela vida, liberdade e busca da felicidade”

Bush não é “o pior presidente para os Estados Unidos”. Não confunda a impopularidade americana com a figura dele. O ódio, que estava meio que adormecido acordou com força total por causa das guerras. Bush não inventou esse ódio. Acorda senhor diplomata! O Johnson foi massacrado dentro dos USA, e apenas lá dentro, porque ainda não havia a globalização. Você é muito moço prá saber dessas coisas. Cuidado com os velhos ao seu redor! Mais cuidado, ainda, com os jovens itamaratecas, todos terceiro-mundistas, todos obsecados com as manobras perversas do império decadente. Decadente ? Como é que é?  Com 1/4 do PIB mundial ? Dissolvendo, liquidando, o inimigo mortal, a URSS ? Invadindo o Oriente Médio com uma tecnologia nem sonhada pelos outros países ? Com o  Hitty Hawk ? Decadente com  as vinte melhores universidades do mundo ( em terceiro e quarto lugares, Cambridge e Oxford), onde lecionam, ou pesquisam, 70% de todos os últimos prêmios Nobel ? Decadente sendo a maior democracia do planeta? É necessário uma teoria muito sofisticada para explicar essa decadência. Aquele tipo de sofisticação própria dos intelectuais.

O Nixon foi noticia dia e noite, sofreu o diabo, e não teve como evitar a derrota, principalmente porque era republicano. Lembro-me que o  Idi-Amin-Dadá mandou um telegrama sensacional para ele :  -“Em seu lugar eu me suicidaria”.

Clinton, figura demagógica ao nível de político brasileiro nordestino, o maior mentiroso da história da humanidade, escapou unicamente por ser do partido Democrata. E ainda é apologético , dizendo que heroicamente defendeu a Constituição dos USA ao conseguir não ser empichado. Cara, nós assistimos a um escândalo de tirar o fôlego! Ele foi chupado 7 vezes, dentro do salão Oval, por uma menina da qual mal sabia o nome, foi para a televisão e mentiu para centenas de milhões de pessoas, americanos e não americanos, depois cometeu obstrução de justiça e perjuro, um casaco com seu esperma foi levado para exame, prostitutas se revezavam na TV para falar mal dele, e com tudo isso o cara continua presidente? Eu vi um senador democrata na televisão dizendo : “Pô, o cara já pediu desculpas. O que mais querem ? Que ele pule pela janela?”  

Como é que o Clinton se encontrou com outros chefes de estado depois disso? Só mesmo escorado no fato de ser o homem mais importante do mundo para que sua presença não fosse considerada alguma coisa bizarra. Imagino que nas apresentações formais o seu rosto deva ter sido observado com intensa curiosidade, numa procura de sinal de insegurança, ou mesmo de desfaçatez. E a Hillary? Fria, calculista, também altamente mentirosa. Que casal! Um merece o outro.

Agora… o Bush, filho de herói, e a sua bela e discretíssima mulher… (discreta porque é burra, foi isso que o senhor pensou?)

O meu especial amigo acha que o presidente Bush vai ordenar o bombardeio do Iran ? De minha parte acho que sim. Sabe por quê ? Porque é seu dever. Será um gesto magnífico, que honrará seu pai,  seus filhos, e seu país. 

Estamos esperançosos por um bombardeio cirúrgico nas usinas. Ninguém, a não ser a imprensa desonesta (redundante),  está falando em invasão. Faz parte da campanha muito bem sucedida de apresentar o Bush como se fosse um débil mental. Bem, ele é formado em Harvard e Yale, e  para os que não sabem: é impossível para quem tem um QI baixo pilotar o F-104.  Já o intelectual…vai se embaralhar um pouco com os computadores, com a destreza no comando e… “acho que é melhor eu desistir disso e terminar de ler as obras completas do Darcy Ribeiro.”

Hoje, domingo, 23/abril, o  grande Thomas Friedman, do NYTimes (sempre esse jornal fatal), faz uma “análise” do problema. Diz que prefere um Iran nuclear, ás medidas militares que possam se tomadas pelo Rumsfeld !!!  Como é que uma afirmação dessa passa impunemente pelos articulistas de nossa imprensa ?Esse Friedman é uma espécie de Norman Mailer sem talento.Diz qualquer besteira na maior irresponsabilidade. O artigo é um ato de rancor contra o Rumsfeld, só isso. Trata-se de um petista americano, refinado e desonesto.

Após o ataque aéreo ao Iran, o ódio mundial, de tão forte, vai se materializar, tomando a forma de uma substância líquida, caudalosa, de cor verde, peçonhenta, escorrendo pelas ruas do mundo, e de vez em quando mostrando pequenos demônios que aparecem á tona e tornam a mergulhar. Segundo os sensitivos, que estão prevendo o fenômeno, essas figuras representam a inveja, o orgulho, e a ignorância. Também são esperados alguns minúsculos francêses de boina e acordeon.

O meu dileto amigo acha que os iranianos vão fazer a bomba ? Acerto quando digo que a resposta é “talvez”, com o complemento de que se esse acontecimento infausto ocorrer é tudo por culpa da inabilidade dos USA ? O samuca, ou o celso amorim,  falaram isso ? Pois não tem nada a ver uma coisa com a outra. A bomba é fundamental, tão fundamental quanto rezar cinco vezes por dia. Ainda não deu prá entender ? O presidente iraniano precisa dizer mais alguma coisa? É inacreditável ao que estamos assistindo. E o maldito baradei e seus técnicos do cabide de empregos continuam cheios das “dúvidas”, e pretendem espichar a questão enquanto continuarem nas manchetes. Gente, esse burocrata é Nobel da Paz. O premio é político, desmoralizado, mas com o baradei bateu todos os recordes de hipocrisia e de non sense. Alguém pode dizer por quê esse cara ganhou ?

Eu gostaria que o habilidoso amigo prestasse atenção – para mais tarde não se esquecer – do enorme esforço diplomático dos Estados Unidos tentando evitar a guerra.  Em cada declaração  percebe-se a extenuante preocupação em não irritar os “aliados”, em não ter pressa ( e eles têm toda a pressa do mundo), em tentar que a ONU faça alguma coisa, depois de 18 anos de farsas e mentiras iranianas. Acorda, senhor diplomata!  Os Estados Unidos disseram que se o Saddam y sons saíssem em 48 horas eles não invadiriam o Iraque. Todo mundo já se esqueceu ? Qual é a “sofisticação” liberal para não concordar em que foi uma oferta de cair o queixo?

Interessante é que não existe o que negociar. A bomba iraquiana é inegociável. Nem por 1 trilhão de dólares,  nem por 100 milhões de virgens, o Iran vai deixar de fabrica-la. É querer que o Brasil não participe mais de copas do mundo de futebol. É vender um filho para transplante de orgão. Papagaio, como as pessoas não enxergam, nem com o presidente iraniano fazendo catarse. Qualquer acordo que o Iran propuser será simplesmente para ganhar tempo.

Eu já profetizei, e acertei a profecia, de qual seria a reação francesa em uma situação semelhante: Direto a ameaça de bomba atômica neles (declaração do Chirac).  E o revoltante em tudo isso é que a Europa em particular, e todo o mundo em geral, dependem justamente da ação militar dos Estados Unidos para a sua sobrevivência. Exatamente como no passado recentíssimo.

Claro que a Russia e a China se opõem a qualquer sanção no conselho de Segurança. Por enquanto o problema é dos Estados Unidos – alguma coisa poderia ser mais delightful ? Não estão muito preocupados com o futuro. Sabem que se lá na frente alguma coisa grave acontecer, não tem problema. Não vão perguntar nada a ninguém, não vão sair atrás de baradeis, onus, kofi -ratazana – anan,  oposição interna ( não existe, não é ? ). Mas que bobagem perder tempo! Vão logo metendo algumas bombas nucleares em cima do Iran – observe, não vão atrás das usinas , porque não fará mais sentido, o país já estará com as armas nucleares. BUUMMM! Acabou o Iran.   Nem pensar em ocupar o país. Muito difícil, impossível. Deixa prá lá. Eles que se virem. Ah, algumas centenas de milhares de soldados para garantir os poços de petróleo se faz necessário.  Um cordão sanitário para evitar os indesejáveis. Tudo minado. Os intelectuais de todo o mundo vão adorar. A beloved Russia voltou! A beloved China também!

Não sei se contei ao genial amigo que estive perto de ter contato personalíssimo com as minas impessoais na estrada de Kabul para Mazar- e-Shariff, quando distraidamente, comecei a andar além do acostamento. Voltei pisando nas minhas pegadas, o que prova que assistir filme de guerra ajuda muito na vida. No Cambodja pelo menos existem algumas placas avisando. Já a tradicional preguiça muçulmana…

E por falar em China, o Bananão novamente vai votar em função do seu torturador, os Estados Unidos. Agora trata-se da OMC. Desde que nos metemos com a companheira China que só estamos levando ferro, mas se o torturador vai votar contra ela é claro que nosso voto será a favor. O fato em si não interessa, o importante é estar contra os malditos yankees.  

Acabei de ler que o asinino celso amorim disse que as Capitanias Hereditárias vão votar contra as sanções econômicas ao Iran. Mas, nem com a querida douce France sendo a favor ? Essa é novidade. Prevaleceu mesmo a síndrome do torturador.

Voltando ao Iraque. Tudo vai mal porque  o Bush é muito burro, e essa tarefa tão séria deveria estar sendo conduzida por alguém inteligente, preparado, culto, assim feito… digamos… o Clinton?… o Kerry ?…..o Teddy Kennedy (que ficou 9 horas escondido debaixo da cama até avisar que o carro que ele dirigia – quando estava ligeiramente alcoolizado – havia caído da ponte matando a amante) ?… a Hillary , a Susan Sarandon, Sean Penn, George Clooney ? Ora, quase ia me esquecendo do indeciso, tonto, perdido, bundão, do Al Gore.

Quem sabe seria melhor deixar tudo, mas tudo mesmo, nas competentes e politicamente neutras, mãos da ONU ? Uma coisa é certa: a situação de hoje é muito pior do que a de antes da invasão americana. O Iraque está afogado em um banho de sangue. Não há como discutir, os liberais têm toda razão, o país piorou. Está bastante claro que haveria uma melhor chance de paz sem as tropas de ocupação. Os americanos são os culpados pela quase guerra civil a que estamos assistindo pela TV.  Bem, engraçado, eu ainda não consegui entender porque os briosos, valentes, e desafiadores xiitas andavam tão sumidos no tempo do Saddam.  Havia tranquilidade nas ruas de Baghdad. O que será que a mãe de todos os presidentes fazia para evitar aquelas desagradáveis,  até agressivas, passeatas ? O que será que o Saddam fazia para evitar tanto tiroteio , tantos atentados ? Evidentemente alguma coisa que escapa aos americanos. Habilidade no trato com as questões religiosas? Liderança carismática?  Que mistério…

Agora me veio outra pergunta. O lulalá sempre foi considerado um ignorantaço,  um semi-analfabeto, mas um homem com a visão do correto, do revolucionário, do que deveria ser feito, não é mesmo ? Do alto do imenso apoio do povo brasileiro, dos milhões de votos que teve acima do seu concorrente, ele teria autoridade para apontar o dedo e dizer “vamos mudar isso, vamos mudar aquilo. Daria as diretrizes gerais,  e o detalhamento correria por conta da elite dos quadros petistas, e dos patriotas de boa vontade filiados aos outros partidos. Estou certo? O senhor concorda que foi trabalhando dessa maneira que o seu brilhante cérebro ordenou que depositasse seu voto no enérgico operário, independentemente do fato de que ele  nunca soube quanto é a raiz quadrada de quatro?  Isso nunca teve importância, perto da  bondade dele, da sua honestidade, sua luta pelos destituídos. Puxa, o  pobre do  Bush, você sabe, é outro debiloide, mas ninguém tem a mesma paciência com ele.  Mesmo tendo gente competente ao seu lado ele mete a colher torta, ferra tudo.  ( Ah, ele está rodeado de asnos ? A Condoleeza, o Rumsfeld,  o Wolffitz, são tapadíssimos ?) Bem, temos aí mais um  presidente caipira, iletrado, que nem sabe falar francês, ao contrário do Kerry… Mas eu compreendo. O burro daqui está a favor da humanidade, e o burro de lá representa os interesses mais mesquinhos que se possa imaginar.

O senhor concorda com o lançamento da bomba em Hiroshima ? Se não concorda, ainda não passou no vestibular. Ainda precisa comer muito feijão para entrar para o seleto clube dos solitários. A bomba atômica no Japão foi a maior prova, até agora, de que a energia nuclear veio para benefício do homem. Ela salvou a vida de umas 10 milhões de pessoas. (não se espante com esse número, o senhor sabe que  a 2ª. Guerra mundial matou 50 milhões). Poderíamos conversar sobre a exigência de rendição incondicional do Japão, mas é assunto demais.

A Índia, o Paquistão e a Coréia do Norte têm a bomba porque os tempos eram diferentes. Em virtude da Guerra Fria foi impossível evitar. Esses países eram aliados potenciais, e muitas vezes foram aliados de fato, da URSS. Israel também tem a bomba, ia me esquecendo. Nesse caso podemos dizer que naqueles tempos isso foi bom para os Estados Unidos. Sem dar a mínima bola para os fatos históricos, outro dia um idiota do NYT falou de novo no “tratamento diferenciado a que o Iran está sendo submetido”.

Bem, é isso.

23 março, 2010 às 13:22

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (1)

 

  1. Jonas disse:

    pois é Claudinho, esses americanos são muito fracos… não é a toa que serão superados pelos chineses!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *