É um sacrifício ler o jornal.

Estou lendo o jornal de domingo, dia 22 de agosto. É dose prá leão. No caderno de política nacional a mais perfeita república de bananas. Só cafonice, roubalheiras, PMDBs, Pts, PSDBs e, as inevitáveis referências ao santuário do crime, a Petrobrás. E temos também “Dilma bate Serra no primeiro turno, indica Datafolha“. Vou direto ver a reação dos articulistas e nenhum deles escreve dizendo que Serra já era, e que além do mais teve a indignidade de colocar o Lula ao seu lado na propaganda eleitoral. É possivel votar num sujeito desses ? Pelo menos deveria perder a eleição com o mínimo de dignidade, e não tentar confundir o eleitor  (e logo mais com quem). É o fim do mundo. Mas, vou virando as folhas e vejo várias sugestões de como fazer o Serra ganhar o jogo; ele precisa disso, e precisa daquilo. Será que não enxergam que NÃO DÁ MAIS  ?!  Acabou! Um dos articulistas intitulou seu artigo assim: ” Sinal amarelo no PSDB”. Amarelo ? Imagino como deve ser o vermelho. Não vejo nenhuma condenação ao ato espúrio, à molecagem, ao desespero incontido de Zéserra. Ninguém se toca ? Vou na Dora Kramer, e ela apenas comenta a legalidade ou ilegalidade do que ele fez, sem se abalar com o ato desmoralizante. Era só o que faltava, o nosso aitolá sendo usada pela oposição que o detesta. Alguma coisa doentia.   

Uma foto do Serra dentro de uma camisa vermelha “FORÇA DA CIDADANIA”. O que isso quer dizer ?! Que bobagem é essa ? E lá está ele, com o seu horroroso sorriso, os dedos das duas mãos fazendo o sinal da vitória, feito o Nixon na porta do helicóptero. E essa peça rara, a Marina, de uma ignorância sesquipedal, se esforçando no seu papel de “doçura alternativa”. Tem certeza que plantou agora para colher mais tarde. Imagina que vai ser presidenta em 2056. E na outra página uma foto do Roriz que, DIZEM, é um dos maiores ladrões que esse país já teve. A manchete o chama de “ficha-suja”, mas vai ganhar disparado pela quinta vez, e as filhas vão ser deputadas. Quem criou a expressão Bananão ( Ivan Lessa?) estava inspirado. É um país latino-americano feito outro qualquer, só que grandão. 

No caderno da Internacional estão os correspondentes, TODOS de esquerda, dando a sua opinião partidária, ao invés do cuidado com os fatos. Escrevem tratando a FOX NEWS como vilã, nazista. Não são repórteres, são articulistas, ou editorialistas. Muito tempo atrás, liguei para o editor chamando sua atenção para o fato de que a correspondente havia colocado que McCain era “o menos reacionário dos Republicanos“. Ele concordou, e me disse que “havia passado”, isto é tinha sido um cochilo da redação. E também TODOS os artigos importados são de esquerda, dos Liberais americanos. Parece que a cota do ano para Kissinger, Krauthammer e outros ( meia dúzia de articulistas) já está esgotada.

Continuo lendo o jornal e agora vejo uma notícia de Washington: O governo Obama tomou todo o cuidado para que não se repetissem os desastres das retirada das tropas soviéticas do Afeganistão, em 1988, e dos soldados americanos do Vietnã, em 1975″, afirmou David Mark, editor executivo do Politico, principal site de informação e de análise de política dos EUA. Além do compromisso do presidente Obama de retirar os soldados americanos do Iraque, a esquerda do Partido Democrata o pressionava fortemente para que o governo acabasse com essa missão, classificada por eles como imperial”, disse Mark. É muito, muito, desonesto. Os russos invadiram o Afeganistão para colocar um governo fantoche comunista no poder. Queriam mais um país dentro da URSS. Lutaram de maneira selvagem durante 10 anos. Enterravam afegãos vivos. Cometaram atos de barbárie que fariam Hitler parecer um delinquente juvenil.** Não é possivel nenhum paralelo com a presença americana. Os EUA foram atacados pela Al Qaeda baseada no Afeganistão, e Bush para mandar as tropas levou um tempão tentando conseguir a aprovação da ONU. O bando de vagabundos, com muito má vontade, concedeu a permissão. A França concordou, estrebuchando. Antes da invasão Bush ainda deu um prazo para que os talebans entregassem os terroristas. O Mulá Omar recusou a oferta e desafiou os EUA, na base do “venham buscar”, imaginando que as forças armadas americanas seriam parecidas com as dos russos. Foram completamente derrotados em duas semanas. Não existe nada de “imperial” na presença americana, como os Democratas dizem. Estão loucos para saír de lá, MAS NÃO É POSSIVEL. Como esse comportamento pode ser classificado de imperial ? É algo espantoso o que dizem esses quinta-colunas americanos.

** Meu artigo: “Minha viagem ao Afeganistão”

E a retirada americana do Iraque é demagógica. Só poderiam deixar o país depois de muito mais tempo, quando houvesse uma maior segurança quanto à sobrevivência do regime. O que impede que fiquem mais 50 anos ? É o preço por TENTAR manter o território americano livre de uma catástrofe. Outra solução, que nunca será aceita pelos Liberais: sair, mas continuarem ativos através das bases no Kuwait. Uma bomba nuclear pode explodir nos Estados Unidos em futuro muito próximo. Essa é a verdade que poucos se atrevem a dizer. Abandonar o Iraque para ter que voltar depois não é opção. E chega de jornal.

 

22 agosto, 2010 às 00:13

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (1)

 

  1. Jonas disse:

    “O que impede que fiquem mais 50 anos ? É o preço por TENTAR manter o território americano livre de uma catástrofe…”. De onde você pegou essa ideia?
    Se é para forçar, vamos lá. Nos próximos 50 anos, a China fará um ataque preventivo-pedagógico aos EUA para que estes não façam mais besteiras. Ah sim, isso depois de prostrá-los economicamente, afinal um passo de cada vez…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *