Eleições nos Estados Unidos: O Presidente Obama e o seu nivel de aprovação (Bill O’Reilly) – Nota do blog: Pelo décimo ano consecutivo a audiência da FOX NEWS entre as redes de notícias no horário nobre (noite) é a maior dos Estados Unidos.

——————-

——————-

 

O acompanhamento das pesquisas de opinião do instituto Rasmussen mostra hoje uma taxa de aprovação do trabalho do presidente de 49%, enquanto os que desaprovam também estão em 49% . Apesar do empate, o presidente esta crescendo no índice de aprovação nas últimas poucas semanas.
Mas, existe outra pesquisa muito significativa, a da Gallup. Ela mostra que só existem dez estados, dos cinqüenta, onde a taxa de aprovação do Sr. Obama está em torno de 50%. Ele é mais popular no Havaí. Mas observem na Califórnia, apenas 50,1% das pessoas naquele estado liberal gostam do trabalho que o presidente esta fazendo.
Dos estados que desaprovam, Utah, Idaho, Oklahoma, Wyoming, West Virginia lideram o grupo. Mas, novamente, somente dez estados são positivos em relação à Obama, certamente uma má noticia para ele.
“Talking Points” detesta dizer isso, porém a corrida presidencial será, provavelmente, uma disputa entre Obama e Romney. E será travada em apenas doze estados. A maioria dos outros 38 estados está quase comprometida. Isto pode mudar se a economia piorar. Mas agora mesmo Colorado, Florida, Iowa, Michigan, Nevada, New Hampshire, Novo México e Carolina do Norte, Ohio, Pensilvânia, Virginia e Wisconsin são os chamados estados que oscilam.
E nestes lugares, o presidente Obama não tem, repito, não tem mais de 50% de aprovação em nenhum deles. É por isto que você assiste ao THE FACTOR. Não temos compromisso de promover nenhum candidato político. Vocês são inteligentes o suficiente para saber em quem vocês querem votar.
Nossa análise esta tentando detectar o que é provável  acontecer na corrida presidencial. Se os republicanos podem se concentrar no recado de que o Sr. Obama é incompetente em assuntos econômicos, o GOP tem uma chance ainda melhor de ganhar não somente a Casa Branca, mas o Senado além de reter a Câmara dos Deputados.
Isto daria ao novo presidente republicano o poder para desfazer o que o presidente Obama tem feito. Mas chegar a esse ponto vai ser muito difícil. Os democratas vão desencadear um inferno contra Mitt Romney se ele for o cara. Eles vão cavar tudo que ele fez em termos financeiros. E irão pintá-lo como uma pessoa rica corrupta que não liga para o povo.
E o governador Romney tem que evitar dizer coisas como essas:
(INÍCIO DO VIDEOCLIPE)
ROMNEY: Eu estou nessa corrida porque eu me preocupo com os americanos. Eu não estou preocupado com os muito pobres. Nós temos uma rede de segurança lá. Se ela precisar de reparo, eu vou consertar. (FIM DO VIDEOCLIPE)
O’REILLY: Porque Romney disse as palavras “Eu não estou preocupado com os muito pobres”, os democratas agora têm uma manchete. Embora o governador tenha explicado que ele estava dizendo, de uma maneira lógica que ‘eu vou consertar as redes sociais de segurança’. Isto não tem importância. Esperem ver “Eu não estou preocupado com os muito pobres” por todo o lugar até o dia da eleição.
O oposto, é claro, é verdade também. Nos idos 2008, o presidente Obama disse que um débito de nove trilhões de dólares era antipatriótico. Ele estava se sentindo ultrajado por causa disso. Agora aquela citação está sendo empurrada goela abaixo do presidente porque a America construiu uma dívida de 15 trilhões de dólares nas vistas do Sr. Obama. Então, vocês podem ver como isso vai se desdobrar durante os próximos meses. Vai ser muito intenso.

TRADUÇÃO: Célia Savietto Barbosa

 

 

4 fevereiro, 2012 às 16:46

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *