Erros dos jornais sobre o nosso sonho na ONU

——-

O pugilista, a economia chinesa, é desleal, usa pesos nas luvas, trabalho escravo, tudo que os chinêses realmente fazem. O adversário, Estados Unidos, pergunta:  “Você leu as regras do box ?” ( existe uma referência ao desenvolvimento com poluição, para mostrar que os chinos não dão a menor bola para isso). Sempre uma ótima charge vale mais do que um artigo

O Estadão deu  como principal manchete de primeira página: “China apoia aspiração do Brasil a mais poder na ONU“. Até aí nada demais porque um montão de países ( inclusive EUA) já disseram o mesmo. É fácil essa “promessa” porque o Brasil pode se tornar mais importante na ONU em uma infindavel de outros cargos, todos sem maior relevância. Mas o que surpreendeu foi o resumo da matéria: ” Na visita da presidente Dilma Roussef à China, Pequim deu  um passo adiante ao tratar da defesa do Brasil como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, informam a enviada especial Vera Rosa e a correpondente em Pequim, Claudia Trevisan.” Nossa!  A China apoiando o Brasil no Conselho PERMANENTE de Segurança! Claro que não pode ser. Vamos ver na página interna, A8:  Não existe nada que confirme a notícia. Nadinha. As declarações dos chinos são a mesmas chatices que eles usam com todos os países que pensam que são importantes. Os chinos apenas disseram : “A China compreende e apoia a aspiração brasileira de vir a desempenhar papel mais proeminente nas Nações Unidas.”Apenas isso, ou seja, nada. Mas a Vera Rosa e a Cláudia Trevisan são excelentes repórteres. Não diriam essa bobagem. O que aconteceu ?

Para ter certeza fui nos dois outros jornais, a Folha de São Paulo e o Globo.

Primeiro a Folha, onde a notícia não foi manchete. ” Posição chinesa sobre reforma emconselho da ONU não mudou, diz Patriota: Mudança de fundo não creio que tenha havido…..e como você sabe, a República Popular da China não tem uma posição idêntica à do Brasil sobre a reforma do Conselho de Segurança”. E segue a matéria com as interminaveis manifestações de boa vontade chinesa para qualquer coisa que o Brasil disser.  Mas, nem pensar em assento permanente no Conselho de Segurança. No Globo também não saiu nada na primeira página, e na coluna do Noblat temos o excelente Gilberto Scofield Jr: E pela primeira vez o governo chines CONCORDOU em mencionar no comunicado conjunto divulgado pelos presidentes HJu Jintao e Dilma Roussef, a aspiração brasileira a UMA VAGA PERMANENTE no Conselho de Segurança das Nações Unidas“. Outra surpresa. Bem, eu procurei o comunicado conjunto e, claro, a China nem quer ouvir falar em vaga para o Brasil. Não consegue prestar muita atenção quando se toca no assunto. O intérprete já sabe o que responder. Fica por conta dele.

A vontade de sucesso para Dilma é tanta que o inconsciente está deitando e rolando. O Brasil não tem a menor, a mínima, chance de integrar o Conselho Permanente de Segurança da ONU. Tudo que vemos escrito a esse respeito são meramente desejos, nada mais do que isso .Ver o meu artigo: O Brasil no Conselho Permanente de Segurança da ONU, ou, eu acredito em Papai Noel e em coelhinho da Páscoa.

15 abril, 2011 às 01:54

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (1)

 

  1. Marco Balbi disse:

    Perfeito, Cláudio! Enquanto as Forças Armadas brasileiras não possuirem um status em material e logística relevante a nível mundial, isso não irá acontecer. Como a capacidade do militar brasileiro é excepcional continuaremos a ocupar posições de observadores e que tais nas mais diferentes missões de paz no mundo, bem como esporadicamente comandaremos e teremos proeminência numa missão, como acontece atualmente no Haiti e já aconteceu em outros momentos da nossa história recente, desde Suez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *