Fato pouco divulgado: Kim-Jong-iL foi o melhor jogador de golfe do mundo!

UMA PERDA ÉPICA PARA O GOLFE”

Façanha de Kim relembrada no Twitter

 

A morte do líder norte-coreano Kim Jong-il foi comentada no Twitter como uma perda épica para o golfe, com centenas de usuários relembrando os onze hole-in-one[1] feitos por ele numa única partida de golfe em 1994, segundo comunicado divulgado à época pela agencia de notícias oficial do governo stalinista.

O comunicado exaltava o memorável feito de Kim, que completou o percurso de 7.700 jardas do Clube de Golfe de Pyongyang  em apenas 34 tacadas, 38 abaixo do par 72, em sua primeira incursão aos campos de golfe. A façanha teria sido presenciada por dezessete guarda-costas do homem incensado pelos norte-coreanos como seu “Querido Líder”.

Kim, que morreu de um ataque cardíaco no último sábado [17-12-2011], tinha 52 anos quando teria completado a volta recorde, na qual birdie[2] em alguns buracos foi a pior contagem registrada no seu cartão.

No Twitter, alguns céticos chegaram a especular se Kim poderia ou não ter ultrapassado estrelas como Tiger Woods ou o atual número um do mundo, o inglês Luke Donald, caso tivesse mesmo completado a volta em 34 tacadas, 21 a menos do que o melhor score jamais conseguido por um golfista profissional.[3]

“Vamos por as coisas nestes termos: com a morte de Kim Jong-il, todos subirão um posto no ranking mundial”, comentou Dan Daly em mensagem enviada por Twitter.

Já outros especularam sobre os formidáveis duelos que não chegaram a ocorrer.

“A morte de Kim Jong-il significa que Luke Donald é agora incontestavelmente o número um do mundo”, escreveu Jonh Mackay. “Meus parabéns, Luke. Pena que as coisas não foram decididas na cancha.”

“O mundo do golfe chora a perda do prodígio que jamais venceu um major”, escreveu Shaun Hinds no Twitter.

“O mundo perdeu uma lenda viva do golfe”, escreveu Paddy Powell. “As chances de que um golfista profissional possa superar o recorde de Kim são de uma em um milhão.”

Alguns, como Rick Reilly, chegaram a ver um raio de esperança para Kim no além. “Último comunicado oficial das agencias de notícias norte-coreanas: Cadáver de Kim completa 18 buracos em 54 tacadas, incluindo seis hole-in-one”.

Não satisfeito, porém, Nick Howell ainda especulou sobre a magistral performance de Kim, dizendo que “ela poderia ter sido ainda melhor, caso sua bola não tivesse encontrado um moinho de vento no buraco 11”.

Alistair Barrell ficou chocado com a indiferença dos sites de golfe. “O maior golfista do mundo acaba de bater as botas, e ninguém está nem aí”.

“Com o falecimento de Kim, o mundo dos esportes perdeu o maior golfista de todos os tempos”, declarou o site Huff Posts Sports.

“O mundo do golfe está de luto por Kim Jong-il. Ele costumava fazer três ou quatro hole-in-one a cada vez que jogava, segundo as agencias de notícias norte-coreanas. Portanto, deve ter sido mesmo verdade”.

Já Ray Ratto se mostrou um tanto desconfiado. “Aí tem dente de coelho. Se fosse mesmo verdade, o pessoal da Callaway[4] com certeza já teria lhe enviado um chapéu, uma caixa de bolinhas ou coisa que o valha”.

Numa mensagem oportuna dada a proximidade do Natal, Chris Scoular comentou: “Na Coréia do Norte, o equivalente a descobrir que Papel Noel não existe seria descobrir que Kim Jong-il não inventou o hambúrguer, nem completou uma partida de golfe em 38 tacadas.”

[1] Buraco completado em apenas uma tacada. Segundo a revista Golf Digest, as chances de um jogador amador fazer dois hole-in-onenuma partida de golfe, são de uma em 9.222.500.

[2] Birdie, uma tacada a menos do que o número de tacadas estipulado para determinado buraco do percurso, ou seja, uma excelente contagem.

[3] No golfe, uma diferença de três ou quatro tacadas entre o primeiro e o segundo colocado num torneio, é considerada larga.

[4] Fabricante de equipamentos de golfe destacado por seu marketing especialmente agressivo.

 

Poster norte-coreano publicado pela revista Golf Digest. Ela ilustrou a matéria de um repórter que foi a Pyongyang expressamente para conhecer o local onde se deu o memorável feito de Kim

 

[Tradução de ARY GALANTE]

Nota do tradutor– o primogênito de Kim foi preterido pelo caçula na linha de sucessão porque entrou no Japão com passaporte falso da República Dominicana e, semanas mais tarde, foi recambiado pelas autoridades de emigração norte-americanas após ter sido detido na Florida, mais precisamente na Disneylandia


 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

28 janeiro, 2012 às 20:31

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *