Lindas repórteres e âncoras da FOX NEWS – comentário do blog; Inglês encontra 20 Spitfires novos enterrados há 67 anos; Artigo circulando entre militares e na Direita brasileira

Com a notável exceção da FOX NEWS, todas as televisões a que temos acesso são de esquerda. No Brasil, se o dono não é, os repórteres e âncoras são, e já que é raro alguma intervenção da sua parte, seus funcionários deitam e rolam. Vão sedimentando a lavagem cerebral à que toda a população foi submetida há décadas, e fazem isso com toda a tranqüilidade porque também não são senhores da sua vontade consciente, também são vítimas do mesmo processo. Vão despejando o lixo no qual eles mesmos acreditam. Quando mentem, ou deturpam os fatos, pensam que estão ajudando a conscientizar os escravos da telinha.

A função primeira da TV é dar lucro, além da maravilhosa sensação de poder que se reflete até no sexo, como é do conhecimento geral. Sabendo que a grande maioria dos telespectadores também pensa como os seus repórteres, o dono da emissora deixa rolar. Quanto maior a audiência mais dinheiro. No plano da política nacional brasileira ele fica mais atento para que não se faça nenhuma grande bobagem, mas tudo que envolver anti-americanismo está liberado, porque ele também é contra os Estados Unidos. E ainda acontece algo muito bom, que o deixa perfeitamente descansado: tanto governo quanto oposição nutrem o velho e saudável ódio aos USA, portanto não há o que temer.

Tudo isso para enfatizar que somente na FOX NEWS é possível ficar-se realmente sabendo das coisas. Seus âncoras e repórteres são de direita, são Republicanos, são contra os Democratas-Liberais.  Para ganhar público procuram aparentar alguma neutralidade e sistematicamente estão convidando a turma esquerdista para o debate. Com muita competência e esforço conseguiram fazer com que alguns dos seus programas em horário nobre sejam campeões de audiência nos Estados Unidos. Deixaram para trás antigas e famosas redes. Quer dizer, ainda existe alguma esperança de não ficarmos completamente sufocados pela mentira.

Se os leitores estiverem ligados na CNN, ou qualquer outra emissora dos USA,  vão assistir ao mesmo anti-americanismo espalhado pelo mundo. Esse é o fenômeno que está derrotando os USA: a oposição interna ao próprio país, o que fornece munição para todos os seus inimigos. O mesmo acontece com os maiores jornais americanos, o New York Times, o Washinton Post, o Los Angeles Times e vários outros.

As mulheres da FOX são lindas porque lá não existe o politicamente correto. Para entender o que eu quero dizer o  leitor deve clicar em cima do título do artigo: Novas fotos de mulheres gostosas da Fox News e de conservadoras, precedidas de um comentário sobre o POLITICAMENTE CORRETO aplicado ao artigo     (publicado em 29 de junho/2011)

 

———————————————————–


————————————————————————

Inglês encontra 20 Spitfires novos enterrados há 67 anos

David Cundall é um fazendeiro inglês aficionado por aviões que passou os últimos 15 anos procurando um esquadrão de 20 Spitfires enterrados em algum lugar de Mianmar. Nesse período ele torrou 130 mil libras e viajou 12 vezes ao esquecido país asiático, mas finalmente encontrou os aviões. Agora, os Spitfires voltarão para casa e serão reconstruídos para voar pela primeira vez.

Esses 20 Spitfires chegaram ao país asiático – que na época chamava-se Birmânia – para reforçar o avanço Aliado pelo território birmanês em batalhas contra o Japão, mas apenas duas semanas depois da chegada das aeronaves, os EUA deram um ponto final à guerra com suas bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki.

Spitfire servindo na Birmânia durante a guerra

Então o Lorde Louis Mountbatten ordenou que os aviões fossem enterrados para impedir que forças estrangeiras os tomassem após o fim da guerra. Em algum momento de 1945 esses 20 aviões, recém saídos da linha de montagem foram encerados, envoltos em papel, tiveram suas partes móveis lubrificadas e foram enterrados a 1,5 metro de profundidade. Os mapas e documentos sobre a localização perderam-se ao longo dos anos, e os aviões acabaram esquecidos.

Em 1996 um amigo de David Cundall contou a ele que certa vez conheceu um grupo de veteranos americanos que trabalharam em uma enorme trincheira cavada para esconder aviões. Desde então ele vinha coletando informações com testemunhas oculares, vasculhando arquivos históricos públicos e publicando anúncios em revistas especializadas.

Militares britânicos preparam um dos 20 Spitfires antes de enterrá-lo

As primeiras viagens a Mianmar não foram bem sucedidas, principalmente devido ao ambiente político carregado, pois na época o país vivia um regime militar que só acabou em 2011. Mais tarde ele encontrou um dos homens que fizeram os mapas e a demarcação do local onde os aviões foram enterrados, e passou a alugar equipamentos para as escavações, mas o mapa estava com suas orientações manchadas por lama, e eles gastaram algum tempo procurando os aviões no lugar errado. Além disso, Cundall percebeu em certo ponto que não estava cavando fundo o suficiente pois as crateras abertas pelas bombas chegavam a mais de seis metros de profundidade, e elas foram fechadas posteriormente.

Foi quando Cundall voltou a Mianmar com um equipamento capaz de dobrar a profundidade atingida que ele e sua equipe encontraram as caixas contendo os aviões cuspidores de fogo.

Ao contrário do que parece até aqui, o sr. Cundall é apenas um pequeno fazendeiro, e não um multi-milionário – o que explica o tempo gasto procurando os aviões. “Levou 15 anos, mas eu finalmente os encontrei”, disse o inglês ao jornal The Telegraph. “Spitfires são aviões lindos e não devem apodrecer em uma terra estrangeira. Eles salvaram nossas vidas na batalha da Grã-Bretanha e devem ser preservados”.

Ao saber da descoberta de Cundall, o primeiro-ministro David Cameron ficou impressionado, e iniciou a negociação política para remover as aeronaves do território birmanês. A remoção custará 500.000 libras e será financiada pela Boultbee Flight Academy, uma academia de pilotagem de aviões que conserva algumas unidades do Spitfire. O governo britânico prometeu a Cundall que não reivindicará as aeronaves.

Dos 21.000 Spitfires construídos, restaram apenas 35 em condições de voo. Com sorte, em pouco tempo esse número subirá para 55 graças à busca apaixonada e incansável de David Cundall.

[Telegraph via Flavio Gomes ]


—————————————————————————————————————————

Bomba “Clemente” promovido a Terceiro Sargento do EB

BOMBA: Carlos Sarmento Coelho da Paz – “Clemente” foi promovido a Terceiro – Sargento do EB

Pesquisado e editado pela editoria do site www.averdadesufocada.com

Carlos Eugênio Sarmento Coelho da Paz – “Clemente” dedica seu livro “Viagem a luta Armada” (Ed. Civilização Brasileira, 1996),- entre outros  “a todos os companheiros da Ação Libertadora Nacional – ALN, que com sacrifício de suas próprias vidas, escreveram algumas das mais belas páginas de nossa história”

No prefácio , Franklin Martins faz um pequeno resumo da vida de “Clemente , que desde os 17 anos,  já se incorporara à luta armada em uma das mais violentas organizações existentes – a ALN -, que  tendo como mentor Carlos Marighella, pretendia derrubar a ditadura militar, através da guerra de guerrilha”. Em pouco tempo, segundo o prefácio, “Clemente” :”tornou-se um dos principais chefes militares da ALN” .

O próprio “Clemente” faz questão, até hoje, de ser de se vangloriar  “de ter sido o comandante de um dos mais ativos grupos de combate”.

Há passagens interessantes nesse livro ,  o prefácio é um trecho que merece uma história mais clara e verdadeira do que as pilulas douradas de quem quer vender o peixe a seu modo – omitindo objetivos da luta armada, negando as ações armadas e apresentado o regime como sangrento e torturador de jovens idealistas. Fala nas ações armadas, da guerrilha urbana , captura de armas, assaltos a bancos, explosões de prédios públicos, sequestros de embaixadores, etc, como consequência do endurecimento do regime, com a promulgação do  AI 5,em 13/12/1968,  quando na realidade o AI 5 foi um recurso para conter a onda de violência que assolava o país – assaltos ; policiais mortos, suas armas roubadas; viaturas militares incendiadas; sentinelas de quartéis mortos;  assassinato do major alemão Edward von Westernhagen (07/1968); assassinato do capitão americano Charles Rodney Chandler (10/1968) – dois oficiais estrangeiros que faziam cursos no Brasil -; atentado a bomba no Aeroporto de Guararapes (1966); Explosão do QG do II Exército ( 06/1968) e assalto ao Hospital Militar/SP ( 06/1968). Dezenove mortos no total.

O livro é romanceado, como o autor mesmo declara. Um dos  exemplos  é o  o “justiçamento” de Ary Rocha Miranda, por Eduardo Collen Leite, – “Bacuri” – a morte é contada como acidental, e o enterro do morto com tintas completamente diferentes da verdadeira versão – “justiçamento” e ocultação de cadáver.

Um outro militante, Wilson Conceição Pinto,  que também seria “justiçado” por eles, é “pintado” como um covarde que fugiu por estar despreparado para a guerrilha. Na verdade, ele pretendia apenas mudar de organização. Com a execução de Ary, por “Bacuri”, Wilson,  fugiu e   entregou-se a polícia, antes que tivesse o mesmo fim de Ary Rocha Miranda. Até hoje, o corpo de Ary Rocha Miranda , enterrado clandestinamente, se encontra em algum lugar de Embu-guaçu para uns ou em Itapecerica da Serra para outros.

Voltando ao “Clemente” é bom saber que poucos participaram de tantas ações armadas como ele e, poucos mataram tantos como ele. Sarmento Coelho da Paz  alardeia  cerca de 10 ou doze assassinatos , inclusive “justiçamentos” de companheiros . Foram tantos que até  perdeu a conta. Veja o vídeo

Apesar de uma repressão tão violenta como eles apregoam, foram muitos os que nunca foram presos. O próprio prefaciador, Franklin Martins, preferiu pular fora, bem  cedo, logo depois  do sequestro do embaixador americano( 09/1969), que o próprio havia proposto e,  do Chile, juntamente com outros, bem mais seguro,  comandava as ações armadas no Brasil.

“Clemente” foi outro dos muitos, que escaparam da repressão. Quando o tempo ficou quente para o lado dele, lá pelos idos de 1973, se mandou inicialmente para Cuba, deixando seus “comandados” aos cuidados da própria sorte, o que aconteceu com muita gente.

Por que será que “Clemente’ , com tantas ações armadas, com tantas mortes nas costas, com tantos companheiros mortos, alguns inclusive “justiçados por ele”, saiu incólume, sem nem mesmo ter passado pela prisão? Isso que era conhecido – servira o Exército a partir dos 18 anos para aprender  técnicas de contra-guerrilha militares e poder  usá-las na  ALN, por sugestão de Marighella. Aliás, no seu livro , “Viagem a Luta Armada”  há um diálogo entre Marighella e ele , discutindo sua infiltração no Exército.

Fora soldado dedicado, até mesmo destacado, campeão de tiro, fora condecorado e, mesmo assim, escapou incólume… Para conhecer melhor esse jovem, que da Paz não tinha e não tem nada e que , provavelmente, o codinome “Clemente” deve ter sido escolhido por gozação,  é necessário transcrever alguns pequenos trechos de seu romance : “… è sempre assim depois que acaba”. (referindo-se a uma fuga) . “Alegria desconfortável, cansaço, lassidão, vontade de gritar , bronca, medo , ódio e estou pronto para recomeçar. Que alimento sublime é o ódio, pena tantas contradições.” Ou antes de uma ação:…È uma frieza que impulsiona com rapidez, precisão e crueldade, para o esmagamento do inimigo e a fuga da morte. Um frio animal Sou um frio animal , quando sinto o cheiro de pólvora e descarrego adrenalina.”

Mas para conhecer além  de Carlos Eugênio Sarmento Coelho da Paz e a própria guerrilha,  vale a pena entrar no  endereço  ( http://www.cedema.org/uploads/Artigo-6-p205.pdf) e ler trechos de sua entrevista à Denise Rollemberg  que escreveu “O Apoio de Cuba a Luta Armada no Brasil” (Ed. Mauad).

O leitor poderá compreender também a influência de Cuba na luta armada brasileira, o apoio de Fidel Castro e ver as declarações de vários outros entrevistados.  “Clemente” confirma sua infiltração no Exército  e o empenho nos treinamentos , chegando a receber uma medalha no Forte de Copacabana, ao mesmo tempo de suas atividades na guerrilha, fala dos companheiros em Cuba, dos agentes duplos, de seu fascínio por Marighella e de seu desejo de tornar o Brasil uma ditadura comunista

Eu já vivi, já vi, já refleti, já li, já reli, vi e já conheci a metodologia cubana, já conheci a metodologia soviética, já conheci a metodologia chinesa… Eu era uma pessoa marighellista. Não A ALN e Cuba… entrei no Partido Comunista e saí. Entrei na ALN e depois o Marighella pediu para entrar no Partido Comunista para travar a luta política. Eu era marighellista, eu entrei na esquerda dentro de uma visão marighellista… eu era socialista, queria o socialismo, queria o comunismo […] mas quem eu reconhecia como liderança, a pessoa que eu dizia assim: “É esse cara que eu vou seguir”, foi o Marighella, sempre foi.”

Isso tudo não é novidade. Ele já declarou com orgulho em vídeos, em depoimentos  na tv, em jornais , palestras em universidades. O que  eu não sabia era que, apesar de ter desertado, de ter sido o que foi dentro do Exército, apesar de não se saber como nunca foi preso, foi anistiado e  promovido  a Terceiro -Sargento , conforme portaria abaixo:

O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, com fulcro no artigo 10 da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial de 14 de novembro de 2002 e considerando o resultado do julgamento proferido pela Comissão de Anistia na 16ª Sessão , Caravana da Anistia na cidade de Belo Horizonte, realizada no dia 13 de agosto de 2009, no Requerimento de Anistia n° 2003.01.27650, resolve:   Nº 34 – Declarar CARLOS EUGENIO SARMENTO COELHO DA PAZ, portador do CPF nº 022.477.858-75, anistiado político, reconhecer o direito as promoções à graduação de Terceiro-Sargento com os proventos da graduação de Segundo-Sargento e as respectivas vantagens, conceder reparação econômica em prestação mensal, permanente e continuada no valor de R$ 4.037,88 (quatro mil, trinta e sete reais e oitenta e oito centavos), com efeitos financeiros retroativos da data do julgamento em 13.08.2009 a 14.08.1998, perfazendo um total de R$ 577.416,84 (quinhentos e setenta e sete mil, quatrocentos e dezesseis reais e oitenta e quatro centavos), nos termos do artigo 1°, incisos I e II, Parágrafo Único da Lei nº 10.559 de 13 de novembro de 2002. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/1577171/dou-secao-1-04-02-2010-pg-37

7 maio, 2012 às 11:04

Tags:

Categoria: Artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *