Mentiras, malditas mentiras! (artigo de Sarah Palin) – charge

nota do blog:Recebi de um amigo:
LINDA, SIMPÁTICA, INTELIGENTE, PREPARADA E ODIADA PELOS ANTI-AMERICANOS. Aliás, se ela fosse incompetente, como a imprensa diz e os inocentes uteis repetem, ela seria inofensiva aos interesses anti-americanos, e muito bem recebida pelos seus adversários políticos.
O artigo é excelente. As mentiras do Messias Obama, por ela apontadas no mesmo, podem ser facilmente verificadas nos links incluidos no texto.
A foto é cortesia do amigo que lhe escreve e pode servir de comparação com a “beleza” da guerrilheira e futura presidenta Dilma…
Sarah Palin

Mentiras, malditas mentiras – ‘Obamacare’ seis meses depois; está na hora de retirar os 20!

Por Sarah Palin,  quinta-feira, 23 de setembro de 2010.

Já se vão seis meses desde que o Presidente Obama se apoderou de um sexto da economia do setor privado com a sua “reforma” da saúde, e as primeiras mudanças no nosso sistema de assistência médica começam a vigorar hoje. Apesar de uma esmagadora aversão pública ao projeto de lei, nos disseram que Washington sabe o que faz, e que não havia nada com o que se preocupar, que seria melhor que nós engolíssemos a pílula ‘Obamacare’*; e dessa maneira, em oposição ao desejo do povo, o Presidente e seu partido impuseram essa mãe de todas as picaretagens. Nancy Pelosi disse que o Congresso tinha que aprovar o projeto para que os americanos pudessem “descobrir o que está nele”. Descobrimos que ele é muito pior do que temíamos.**Reforma da saúde do presidente Barack Obama (N. do T.)

Lembram-se quando o Presidente disse, “Se você gosta do seu médico, você pode ficar com ele”? Não é verdade. Somente no Texas, um número recorde de médicos está deixando o sistema Medicare* por causa dos cortes nos reembolsos do ‘Obamacare’! A presidente da Associação Médica do Texas, Dra. Susan Bailey, avisa que  “o sistema Medicare está começando a implodir.”

*  Seguro saúde para idosos (N.doT.)

Lembram-se da promessa da administração Obama de que o ‘Obamacare’ iria cortar um típico prêmio familiar “em até 2.500 dólares ao ano”? Não é verdade. Na realidade, impulsionado por relatórios que dizem que corretores têm expectativas de que os prêmios subam 25% como resultado do ‘Obamacare’, senadores Democratas  contemplam a introdução de controles de preços.

Lembram-se quando o Presidente disse em seu discurso ao Congresso que “dólares federais não serão usados para financiar abortos”? Este também acabou sendo um daqueles momentos “você mentiu!”. Nós descobrimos que grupos de seguros de alto risco autorizados pelo ‘Obamacare’ estabelecidos em estados como Pensilvânia e Novo México irão financiar abortos, no final das contas.

Lembram-se da promessa de que o ‘Obamacare’ iria “fortalecer pequenas empresas”? Também não é verdade. O resultado líquido do ‘Obamacare’ é que pequenos negócios irão enfrentar custos mais altos de assistência médica, novas taxas no Medicare e maiores custos de conformidade de regulamentação, enquanto que a tão badalada taxa de crédito em assistência médica para pequenas empresas se torna, na verdade, quase impossível de se obter.

Lembram-se da promessa do Presidente de que o seu projeto de lei iria assegurar que “todos (têm) alguma seguridade básica”? Falso mais uma vez. Além da grande incerteza com a qual o ‘Obamacare’ dificulta as pequenas iniciativas, as empresas agora acham mais barato pagar a multa de 2.000 dólares por empregado imposta pelo ‘Obamacare’ do que manter segurada sua força de trabalho. Isto deixa milhões de trabalhadores americanos em risco de perder seu plano de saúde fornecido pelo empregador.

E lembram-se quando a administração Obama disse que não iria “racionar assistência” no futuro? Aquela velha coisa dos “painéis da morte” sobre os quais  eu escrevi ano passado?

Aquilo foi antes do ‘Obamacare’ ser aprovado. Uma vez que isso aconteceu, eles admitiram que haveria racionamento. Tem que haver. A realidade do ‘Obamacare’ é que ele endeusa o que o New York Times chamou de “O Poder do Não” – o poder do governo de dizer não ao seu pedido de tratamento para as pessoas que você ama. O fato de o Presidente ter usado uma  reunião durante o recesso para empurrar a nomeação do Dr. Donald Berwick como diretor dos Centros de Serviços Medicare e Medicaid  diz  tudo que você precisa saber sobre as intenções dessa administração. Afinal, foi Berwick que disse, “A decisão não é se vamos racionar atendimento – a decisão é se vamos racionar sabendo das consequencias.”

A propósito, quando a administração estava falando sobre aquela comissão independente que tem o poder estatutário de decidir quais categorias de tratamento valem a pena ser financiadas baseando-se em cálculos de eficiência (isto, novamente, me soou como um painel de burocratas anônimos  decidindo sobre a vida e a morte em relação a nossos entes queridos – o que, mais uma vez, é o que eu me referi como “painel da morte”), foi outra oportunidade para os americanos escutarem a verdade sobre as intenções do ‘Obamacare’.

Então, sabemos que aqueles racionamentos “painéis da morte” estão lá, e também os aumentos das taxas que o presidente também prometeu que absolutamente não estariam em seu projeto de lei. (Vocês não estão cansados das inverdades que vêm da Casa Branca e dos liberais no Congresso?) Quando o estado da Flórida requereu uma objeção legal do ‘Obamacare’ baseando-se  na inconstitucionalidade das autorizações da lei, o Departamento de Justiça de Obama apresentou um recurso para liberar o processo citando o Ato Anti-Injunção, que bloqueia as cortes de interferir na habilidade do governo federal de coletar taxas. Sim,taxas! Uma vez que o projeto foi aprovado, não foi mais politicamente inconveniente para a administração Obama admitir que não faz diferença se o pagamento é um taxa ou uma multa porque ele é “estimado e coletado da mesma maneira”. A Defensoria Nacional do Contribuinte já avisou que “o Congresso deve prover fundo suficiente” para permitir que o IRS* colete essa nova taxa. Logo, logo, estaremos pagando taxas apenas para tornar possível para o IRS arrecadar todas as taxas adicionais autorizadas pelo ‘Obamacare’! Parece que isso é uma outra surpresa que o público descobriu após a lei ter sido imposta.

* Internal Revenue Service: agencia do governo americano responsável pela arrecadação dos impostos (N. do T.)

Mas talvez, a promessa mais ridícula de todas foi a garantia do presidente de que o ‘Obamacare’ levará a uma “flexão da curva” nos gastos com a saúde. Sim, racionamento é uma parte do novo sistema, e sim, o ‘Obamacare’ realmente aumenta as taxas. Mas porque o sistema manobrado pelo novo governo é tão incrivelmente complicado e caro de ser executado, os gastos com programas de saúde irão, na verdade, crescer em vez de cair. Você não acredita em mim? Então de uma olhada na afirmativa do Congressional Budget Office de que a estimativa original do total de gastos da lei estava indo para mais ou menos 115 bilhões de dólares. A nova estimativa está agora acima de um trilhão de dólares e mesmo assim pode estar muito baixa. Um número  mais realista calculado pelo Pacific Research Institute fala  em 2,5 a 3,0 trilhões de dólares para os próximos 10 anos! É a isso que provavelmente o  presidente Obama estava se referindo quando admitiu recentemente que ele sabia desde o começo “à  margem”, que suas propostas iriam elevar os custos. Ah, me dá um tempo! Só nessa administração eles se referiam a aumentos de gastos de 3 trilhões de dólares como “margem”. Na próxima vez ele vier até nós com outra de suas desatentas propostas para um abuso de poder federal falindo o orçamento,  vamos nos assegurar de lembrar da confissão do presidente de que ele estava mentindo desde o começo quando nos disse que seu plano de saúde iria cortar custos. Ele esta aumentando os custos. Ele admite isso agora. E ponto final.

Custos maiores e assistência pior – não é um pouco curioso por que o povo esta preponderantemente a favor de “anular e substituir” o ‘Obamacare’? Políticos que vacilaram sobre o assunto precisam ser demitidos. Candidatos que não apóiam o “anular e substituir” não merecem seu apoio. Nenhuma soma de dinheiro gasto na campanha de informação pública amplamente apolítica do governo ( de outra forma conhecida como “propaganda”) vai convencer os americanos de que essa terrível legislação é  qualquer outra coisa que não um grande  desastre do governo causador de dívidas. Precisamos  anular e substituí-la e isto só pode acontecer se elegermos um novo Congresso que terá como uma de suas prioridades fazer em pedaços o ‘Obamacare’. Podemos substituí-lo pelo setor pró-privado, reforma orientada no paciente que o GOP* propôs.

* Grand Old Party:  tradicional apelido do Partido Republicano.

Em 23 de março, quando foi assinada a lei do  ‘Obamacare’, eu lancei minha campanha “Take back the 20 ou seja, ‘Retirem os 20’, enfocando os 20 distritos congressionais que John McCain e eu conduzimos e ganhamos em 2008, que são, ou eram, representados por membros do Congresso que votaram a favor do ‘Obamacare’. Eles precisam ser responsabilizados por aqueles votos. Eles votaram a favor do ‘Obamacare’. Agora nós podemos votar contra eles. Precisamos substituí-los por representantes que vão respeitar a vontade do povo.

É por isto  que hoje estou lançando um novo website, o ‘Take Back the 20’, (www.takebackthe20.com)!  Este site fornece informação sobre os candidatos desses 20 distritos que estão comprometidos em ‘anular e substituir’ o ‘Obamacare’. O site tem links para os sites pessoais desses candidatos e suas páginas para doações. Ele permite a você se informar sobre eles, e então apoiá-los para derrotar aqueles que nos impuseram essa terrível lei.

Temos que mandar para Washington uma mensagem de que não é aceitável negligenciar a vontade do povo. Temos que dar a eles um ‘basta!’. Nada de desobedecer mais a constituição. Nada de nos lançar num abismo financeiro. Devemos anular o ‘Obamacare’ e substituí-lo por um plano de saúde com foco no paciente, direcionado para resultados, reforma do mercado livre que forneça soluções para as pessoas de todos os níveis de renda sem arruinar o nosso país.

É hora de resistir. Vamos retirar os 20!

Sarah Palin

Tradução: Célia Savietto Barbosa

5 outubro, 2010 às 11:25

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (2)

 

  1. O odioso “sem fronteiras” da globo news fez um programa sobre Sarah e o Tea Party inteiro só entrevistando opositores e populares modernosos em Nova Iorque. Tudo para mistificá-los como cheios de ódio, racistas e nazistas (sim, disseram isso com todas as letras).

    Abs,

    Escrevi sobre isso em minha página cujo link está no espaço apropriado.

  2. Claudio Mafra disse:

    É, somos uma minoria, portanto obrigados a suportar tudo quanto é bogagem. abs. Vou atrás de sua página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *