O Partido Republicano está liquidado ( Ann Coulter); Um militar do Exército ( da reserva) e suas dúvidas; 6 violentos vídeos de Olavo de Carvalho chamando os militares de covardes e o escambau; Olavo de Carvalho sabe quase tudo; O Brasil na década de 50 e seus maravilhosos sambas de breque; Críticas ferozes aos militares; As Olimpíadas de Inverno; Charges

 

Eu fui um pouco duro com os militares no meu último artigo. Resolvi escrever para um deles e perguntei o que estaria se passando nos quarteis. A  resposta, que começa sem graça, logo ganha uma dimensão que vale a pena ser observada : 

 

Meu amigo, eu não faço a menor idéia do que está acontecendo. Ou melhor, faço mas fico até reticente em interferir.

Alguns civis, Olavo de Carvalho, por exemplo, têm sido mal educados e alguns militares da reserva, também. Na ânsia de fazer o pessoal da ativa esboçar pelo menos uma reação, um pronunciamento que fosse, uma entrevista, uma formatura em homenagem à reação democrática de março de 1964, textos até virulentos e deselegantes têm sido escritos, criando mais óbices do que aproximando a ativa da reserva. Esta não tem tropa e não faz revolução, quando muito participa, colabora, contribui para esclarecer. Quem tem a tropa é a ativa, e esta é que terá que se contrapor ao golpe final gramscista. Espero e rezo para que ainda existam chefes militares comprometidos com a democracia. Conheço todo o Alto Comando do Exército (ACE), e tenho certeza que eles ou um deles por certo agirá no momento certo. Penso que a inteligência do Exército esteja trabalhando ativamente para prover informações confiáveis para a decisão. Vai haver agora em março uma renovação grande no quadro de oficiais generais. Ainda no final deste mês de fevereiro o ACE se reunirá para elaborar a lista. O General do Lula, o chorão Gonçalves Dias, não ganhará a quarta estrela, mas consta que ganhará um carguinho no governo.
Enfim, meu amigo, por mais nervoso e indignado todos nós estejamos, acho que vamos ter que esperar mais um pouco. Enquanto isso fico tentando manter a tropa unida, reserva+ativa+civis democratas.
Abraços
P.S. Possivelmente depois do Carnaval a mídia desencadeará uma campanha sobre a Revolução de março de 1964. Vão bater muito. Por enquanto estão esquentando os motores, um artigo, uma nota ali etc. E nós, vários oficiais da reserva, escrevendo diariamente para os jornais, contrapondo cada coisa publicada, numa luta desigual de Davis contra Golias.
 
 
 
-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-.-.-..-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-.-.-.-.-.-.-.-
 
-.-.-.-.-.-.-.-.-..-.-.-.-.-….-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
 
 
 
VEJAM QUE ESTRANHO O QUE A DORA KRAMER ESCREVEU:
-.-.-.-.-.-.-.-.–..-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-

No fim do ano passado num encontro de representantes de um grande banco de investimentos americano em Foz do Iguaçu na América Latina era grande  a preocupação com a simpatia do governo brasileiro pelos países ditos bolivarianos. O ex-presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, estava na plateia. Na ocasião soou algo estranha sua indagação sobre a possibilidade de o Brasil como líder da região seguir o rumo da Venezuela.                                  Agora prestem atenção:

Para quem vive aqui a resposta é óbvia: zero. Mas, pensando bem, para quem acompanha o panorama a distância, agora ouve o silêncio do Brasil ante a convulsão venezuelana e não conhece a fundo a capacidade de resistência das instituições nacionais, é uma inquietação pertinente.

Alguém entendeu ? A Dora está sendo sarcástica ?  Segundo ela, o perigo que corremos é  zero“. Muito bem, Dora continua escrevendo : Mas, pensando bempara quem acompanha o panorama a distância, agora ouve o silêncio do Brasil ante a convulsão venezuelana e não conhece a fundo a capacidade de resistência das instituições nacionais, é uma inquietação permanente“. Então, os que acompanham o panorama a distância estão preocupados atoa, as nossas instituições são sólidas.  Quão estranho!  Alguma coisa freudiana, algum ato falho da querida colunista ? Por que escreveu esse lenga-lenga ? Será que perdi alguma coisa ? Essas últimas frases prestam-se a mil interpretações.

 

Olimpíadas de Inverno  

Por que a gente não viaja para ver um espetáculo maravilhoso desses ? Sempre que vamos ao exterior temos que batalhar para criar nossos próprios programas. Este estava prontinho, não havia erro. Acho que nada se compara ao show de cores na neve, as competições sensacionais, as mulheres lindíssimas. Se Deus me der disposição e saúde estarei na Coréia do Sul nas próximas Olimpíadas. Sochi ainda tem um charme a mais: é no mar Negro, o lugar onde os filhos da puta dos figurões russos  passavam suas férias durante o inferno comunista.  

Na péssima transmissão realizada pela Sport TV pudemos assistir a roubalheira dos juízes na patinação artística das moças.  Três interpretações fantásticas, a da italiana Carolina Kostner ( terceiro lugar),  da sul-coreana Yuy-Na- Kim (segundo lugar), e da americana Ashley Wagner (sexto lugar),  foram consideradas inferiores ao da chatíssima  russa Adelina Sotnikova (primeiro lugar). No momento em que  americana  recebeu a péssima nota que a colocava no sexto lugar, tendo sido ,de longe, a melhor de todas, um espetáculo inesquecível que deixou os narradores quase sem fala, o comentarista da emissora, um especialista na matéria, disse revoltado : ” Que safadeza!” “Que safadeza”!   Deve ter recebido um pito dos narradores, porque  logo passou a elogiar a russa. Que sujeitinho ordinário,  que piolho. Nas duas apresentações da italiana fiquei babando com tanta classe, tanta sensualidade, tanta beleza. Que mulher! Seu marido, namorado, amante, deve ser um homem muito feliz.

 

Mas como enchem o saco as patriotadas da TV ! In-su-por-tavel. A Confederação Brasileira colocou uma menina de patinação no gelo que nasceu nos Estados Unidos, Isadora Williams, apenas porque a mãe é mineira, de Governador Valadares ! Ela  não fala NADA de português, e a tratam como se fosse brasileira ! Fizeram a gente se contorcer na cadeira porque ficamos ouvindo muita obrigadãao, e tudo que ela gaguejava, sem se lembrar do pouquíssimo que havia decorado!  Após a sua performance todos foram unânimes em dizer que havia sido a mais dramática, a que melhor incorporara a música escolhida  (um tango) e blá, blá, blá. Afinal, ficou em último lugar, mas continuou coberta de elogios.

Mas que turma essa que narrou a patinação no gelo. Errava tudo. O “La Cumparsita” passou a ser uma típica música espanhola,  O famoso concerto para piano e orquestra de Grieg passou a ser de Tchaykovsk, e assim por diante. Nas competições de esqui aconteceram mil vezes erros crassos: “Medalha de ouro para o russo!”, quando o vencedor tinha sido um alemão. E o sujeito raramente se corrigia na hora. Um espanto. E nem vozes bonitas eles têm. De onde saem esses caras? São filhos dos donos das emissoras?

E a torcida contra os americanos prossegue.

E Putin que assistiu a prova de esqui na floresta (cross country ?) deu o seu recado firme e forte: estava de blusão vermelho, únicamente vermelho, exatamente como a cor da bandeira da URSS. Nada de bandeira russa, o azul, branco e vermelho. Coitada da Ucrânia!

Na prova de cross country feminina ganhou uma ucraniana. O significado foi enorme, porque no dia anterior haviam morrido mais de 70 de seus compatriotas que se recusam a voltar a ser escravos dos russos. Os comentaristas se referiram ao fato das mortes, mas com uma timidez constrangedora, evitando falar nas razões do conflito, o que era indispensavl, mesmo tratando-se de uma competição esportiva. Duvido que fosse assim se não tivessem medo do nosso governo. Afinal, somos neo-comunistas. Covardões. 

 

  Political Cartoons by Henry Payne

 

 

 

 

 

Political Cartoons by Glenn Foden

 

Um leitor me enviou:
atenção: Não respondo pela autenticidade das fotos
 
 
 
Do site Besta Fubana:
 

“Hoje pela manhã chegou uma mensagem que, depois que li, tomei a decisão de escrever estas linhas que estou digitando agora.

A mensagem dizia o seguinte:

“Senhor Editor do JBF, onde estão os generais que não tomam uma providência?”

Vou responder agora onde estão os generais. Ou, melhor dizendo, onde foi que o PT e o Socialismo Muderno colocaram os generais.

Na  foto abaixo, o careca que aparece levando o Presidente da República, saindo de uma festa completamente bêbado, no banco de trás do carro oficial, é o General Gonçalves Dias, então chefe da segurança pessoal de Lula, codinome Barba.

Respondendo a pergunta do leitor, a foto mostra onde está um general na República Federativa de Banânia.

http://www.luizberto.com/wp-content/uploads/2014/02/lula_bebado.jpg

Na foto seguinte, o mesmo general careca aparece descendo de um helicóptero, carregando a trouxa com as cuecas de Lula e os absorventes de Dilma, que era então ministra e pode ser vista desembarcando do lado esquerdo.

O general, neste caso, é o serviçal doméstico das otoridades máximas do petralhismo e do Socialismo Muderno.

http://www.luizberto.com/wp-content/uploads/2014/02/carregando-a-pasta-de-lula.png

Vamos continuar vendo onde estão os generais. Deste vez, no gunverno Dilma.

Este que aparece na foto abaixo é o general Marcos Antônio Amaro dos Santos, chefe da segurança pessoal da Prisidanta, ajudando-a a entrar no carro oficial, completamente bêbada e toda mijada, com aquela sua característica cara de priquito lambido.

Esta foto foi tirada no mês passado, por ocasião do alegre e dispendioso piquenique feito por Dilma e a legião de parasitas que levou com ela, pra torrar o dinheiro do contribuinte em terras lusitanas. E que foi motivo de destaque e deboche na grande imprensa de todo o planeta Terra.

http://www.luizberto.com/wp-content/uploads/2014/02/DBB.jpg

Pronto, caro leitor, tá respondida sua pergunta sobre “onde estão os generais“.

Tão ajudando a botar no carro e transportar pra casa os prisidentes petralhas com o furico cheio de cachaça. Como cachacista militante, confesso que fico constrangido e com vergonha de ter como companheiros de copo gente desse nível e dessa laia. Que merda…

Carregar e servir de babá pra presidentes de porre é uma tarefa tão intensa e tão estafante, que não sobra tempo algum pros generais pensarem em conspirações, golpes e derrubada do governo constitucional. E, mesmo que eles pensassem nisto, não teriam condições alguma de botar em prática suas intenções golpistas: os tanques estão quebrados e sem combustível, não existe verba pra comprar munição, os fuzis estão enferrujados, os aviões de guerra não decolam por falta de peças e os navios da armada não conseguem sequer sitiar um porto porque estão todos sucateados. Em breve futuro, os recrutas serão treinados com estilingues e lanças, por conta da falta de verbas pra comprar armas e munições pros quartéis.

Eu, que sou defensor ferrenho de eleições e do rodízio de partidos e tendências políticas no poder, confesso que não vejo saída a curto prazo pra este bem sucedido e, até agora, vitorioso processo de avalhação do nosso sistema constitucional e do acelerado processo de bolivarianização que o PT implantou.

Tô só de olho no que está acontecendo neste momento na Venezuela… Quem sabe, aquelas multidões na rua tragam alguma inspiração pras antas banânicas que votam em Lula e em Dilma…

 

 

 

Respondi ao leitor:

Os estertores dos comandantes aconteceram quando se recusaram a aprovar um tal plano PND , ou sei lá o que, durante o governo Lula . Os comandantes ameaçaram pedir demissão. Nelson Jobim, ministro da Defesa, ficou do lado deles e Lula voltou atrás, dizendo que havia assinado sem ler. Até aquela época o PT ainda mostrava medo. Quando os marginais petistas atacaram os velhos coroneis e generais que sairam de uma reunião do Clube Militar, e um deles chegou quase a apanhar, foi inacreditavel a não reação militar. Perguntei para um general do Clube por que não haviam chamado os grandalhões da PE ( Polícia do Exército) para baixarem o cacête, defendendo os oficiais. Claro que teria sido ilegal, o normal seria recorrer aos policiais civís, mas perdeu-se uma excepcional oportunidade para um recado, estabelecer algum limite e, convenhamos, mostrar um mínimo de sangue nas veias, um mínimo de sentimento de honra ferida. Comportaram-se muito, muito, mal.
O general enrolou a resposta.

Seria chamado de maluco quem dissesse que algum dia aceitariam passivamente a roubalheira com os médicos escravos cubanos, porto de Mariel, beijos no Fidel, alianças com os comunistas pelo mundo afora. Só falta a Dilma convidar o Raul para uma visita ao nosso ridículo país e os militares baterem continência para ele. Já temos o direito de achar divertido, uma espécie de perversão da nossa parte. Mas, se eles dessem alguns murros nas mesas o PT se encolheria, não tenho a menor dúvida. Contam com alta credibilidade junto à população o que torna a questão ainda mais esquisita. Nas Escolas Militares, garantiram-me alguns oficiais, o currículo e professores ainda não são petistas. Quem tiver alguma notícia a esse respeito é bom informar. Também não custa nada ir até Agulhas Negras checar. Um convite não é dificil.  

 

 
 
 
Estes são violentos vídeos de Olavo de Carvalho intitulados: Forças Armadas ou Fraquezas Desarmadas do Brasil ? Vale a pena ver e ouvir, mesmo divergindo. Também prestem atenção no seguinte: Olavo diz que os milicos querem apenas se aposentar e levar uma vidinha medíocre na praia. Ele se esquece que a cúpula das Forças Armadas pode ficar milionária com a compra dos novos equipamentos. Só as porcarias dos aviões suecos foram alguns bilhões de dólares. Imaginem navios, tanques, milhares de fuzis, etc. Rouba o governo, uma prática comum, ninguém se espanta, e podem também se locupletar os oficiais generais e oficiais superiores.  Sinto dizer isso, mas é necessário. Acho estranho que Olavo de Carvalho não tenha percebido essa hipótese mais do que provavel.

—-

—-

—-

—-

—-

—-

—-

—-

 

 

 

O Partido Republicano elabora plano para arruinar o país  (ANN COULTER)

Enquanto os republicanos da Câmara se preparam para liquidar o país com a questão da imigração  Phyllis Schlafly fez um chocante relatório sobre como a imigração esta mudando o país. Embora o relatório ainda esteja embargado, alguém me passou uma cópia dele, e ele é importante demais para esperar que seja liberado.

Não falaremos do mal que o trabalho barato despejado no país faz a milhões de americanos desempregados. O que isso significa para o Partido Republicano?
Citando pesquisas do Pew Research Center, Pew Hispanic Center, Gallup, NBC News, Harris Poll, Annenberg Policy Center, Latino Decisions, Center for Immigration Studies e Hudson Institute, o relatório de Schlafly demonstra de forma esmagadora que continuar com nossas atuais políticas de imigração pode ser a ruína para o Partido Republicano.

Os imigrantes – todos eles – sempre foram o baluarte do Partido Democrata. Por exemplo, os que chegaram tendem a ser pobres e necessitados da assistência do governo. E mais, eles vêm de sociedades que são muitos mais esquerdistas do que a nossa. A história mostra isto. Mais do que fugindo dessas políticas, eles trazem suas culturas com eles. (Veja o que os nova-iorquinos fizeram em Vermont)

Isso não é segredo. Por no mínimo um século, não houve um período em que a maioria dos imigrantes não fosse democrata.

No atual índice acelerado de imigração – 1,1 milhões de novos imigrantes a cada ano – os republicanos serão um partido pequeno em mais ou menos uma década.

Graças a infindáveis pesquisas, temos uma boa ideia do que a maioria dos imigrantes acredita.

De acordo com a Harris Poll,  81% dos cidadãos americanos nativos pensam que as escolas deveriam ensinar aos estudantes a se orgulharem de ser americanos. Somente 50% dos cidadãos americanos naturalizados pensam assim.

Enquanto 67 % dos americanos nativos acreditam que nossa constituição é uma autoridade legal maior do que a lei internacional, somente 37% dos naturalizados concordam.
Não é de admirar que eles votem na proporção de dois para um nos democratas.

Os dois maiores grupos de imigrantes, hispânicos e asiáticos têm pouco em comum em relação à economia, cultura e historia. Mas ambos, surpreendentemente, apoiam a maquina governamental inchada e ineficiente, o Obamacare, o sistema de cotas para empregos, e o controle de armas.

De acordo com uma pesquisa nacional de 2012, e com a Kaiser Foundation, só 40% do público em geral têm uma opinião favorável em relação ao Obamacare, sendo que 42% não são favoráveis. Enquanto isso, 51% dos asiáticos têm uma opinião favorável do Obamacare e 18% não. Até os coreanos apoiam o Obamacare, estando 57% a favor e 17 % contra. Além de tudo, 69% dos imigrantes gostam do Obamacare, de acordo com um estudo do Congresso, de 2010, sobre eleições.
Essa mesma pesquisa mostrou que somente 35% dos americanos nativos apoiam as quotas de emprego, e 58% entre os imigrantes que incluindo – surpreendentemente – 64 % de asiáticos, que apoiam (sugerindo que eles podem não ser tão espertos quanto se pensa).

Surpreendente também é uma pesquisa do Pew Research Center, incluindo hispânicos imigrantes e cidadãos, mostrando que eles têm uma visão mais obscura do capitalismo do que pessoas que se veem como “democratas liberais”. Enquanto 47% desses ditos liberais têm uma visão negativa do capitalismo, 55% desses hispânicos também têm.

A pesquisa Pew também expôs que somente 27% dos hispânicos apoiam os direitos de arma, comparado com 57% dos brancos não hispânicos. De acordo com o Latino Decisions, a grande maioria dos hispânicos é a favor de uma base nacional de dados de possuidores de armas, limitando a capacidade de revistas e uma proibição de armas semiautomáticas.

Setenta e cinco por cento dos imigrantes hispânicos e 55 % dos asiáticos apoiam o governo inchado – de acordo também com a pesquisa Pew. Mesmo após três gerações na América, 55% de hispânicos ainda apoiam esse tipo de governo, comparado com o público em geral que se opõe na proporção 48 %.

Como os republicanos irão unir os dois lados? Não é a posição deles sobre anistia que os imigrantes não gostam; é o apoio dos republicanos a um governo mais enxuto, direito de armas, patriotismo, a Constituição e o capitalismo.

Analisando esses dados estatísticos, será que alguém não quer saber as consequências? Os democratas pensam que expandir a imigração deveria ser a prioridade número um da nação.

Uma coisa seria se essas pessoas com esse ponto de vista já vivessem aqui. Os republicanos não teriam o direito de dizer: “Vocês não podem votar”. Então por que eles estão trazendo para cá pessoas comprometidas com a sua destruição política?

Os republicanos não tem obrigação de ajudar os democratas à medida que eles mudam o país de maneira que os favoreça nas eleições, particularmente quando isso é bastante nocivo ao povo que já esta aqui.

Sim, é legal para os mais poderosos americanos ter muita mão de obra barata e não qualificada. A imigração definitivamente resolve o “problema de trabalhadores” para os ricos.

(Aproximadamente 5 milhões de vezes ao dia, a MSNBC expressa espanto frente à oposição dos republicanos à anistia quando ela é apoiada pela Câmara do Comercio. Oba! Então até as pessoas que lucram enchendo o país de mão de obra barata estão a favor de encher o país com mão de obra barata!)
É terrível para lobistas étnicos cujo poder político vai crescer enormemente à medida que aumentamos o numero de americanos não nativos. E é fantástico para os democratas, que estão no caminho de permanente maioria, podendo assim destruir completamente os últimos vestígios daquela que foi um dia conhecida como “a terra de homens livres”.

Os únicos que se opõem a nossa atual política de imigração são do povo.

Mas será que eles vão dar um trabalho a John Boehner quando ele não for mais porta voz da Câmara, como algum lobista das grandes corporações dará?
Será que eles vão ajudar Marco Rubio concorrer para presidente perante o argumento de que, como cubano, ele pode apelar para os hispânicos? (Grande chance)

Será que eles irão arrumar contribuintes para a reeleição de Eric Cantor, como os doadores mais prósperos farão?

Será que eles serão suficientes para reeleger Kevin McCarthy para o Congresso para que eles possam manter o dourado seguro de saúde dado pelo governo?

Será que são eles que vão escrever um obituário bajulador para Darrell Issa no New York Times?

Sinto muito americanos. Perderam!

TRADUÇÃO: Célia Savietto Barbosa

 

 

 

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-.-.-.-.-.-.-.-.—-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

 

Antes que eu soubesse da existência de Olavo de Carvalho já havia chegado às suas (dele) conclusões políticas, discordando no entanto da sua teoria de que existe uma conspiração esquerdista estudada, fria, metódica, em andamento no planeta.  No panorama brasileiro, que eu saiba, com a mesma inteligência e senso de humor só existem Olavo e o Diogo Mainard, sendo que o Diogo ficou rico e calou a boca, de saco cheio com tudo. Fica lá em Veneza, fingindo que suporta as idiotices terriveis do Lucas Mendes, do Caio Blinder, e daquele babaca de São Paulo do qual não me lembro o nome (Manhattan Connection). Após a gravação do programa provavelmente é impedido por sua mulher de pular a janela e cair no canal que banha seu palacete.

Os anti-petistas de carteirinha, Reinaldo, Rodrigo Constantino, e sei lá quem mais, são puros brazucas, são dois caipiras. Mostram-se ambíguos: são tucanos, não são tucanos, não têm coragem de encarar os golpes militares e sua contribuição para a preservação da democracia aqui e no mundo, são demagôgos, fizeram do antipetismo uma indústria, julgam-se cultos mas apenas escrevem bem, julgam-se sofisticados (puxa vida, descobriram a escola austríaca!!!)  mas são vaidosos e grossos. Reinaldo deve ter lido pouco, e Rodrigo acho que o suficiente para defender a economia de mercado, nada mais do que isso. A enorme auto-estima dos dois tem como referencial o PT o PSDB e a ignorância brasileira em geral. Claro que Olavo não respeita nenhum deles, mas segue disfarçando.

Terrivel para nós é a falta da FOX NEWS, que primeiro sumiu da SKY e depois da NET. Estou chamando um técnico para ver se consigo transferir a internet para a minha super – tv, e assim resolver o problema. Acho uma pena que o brilhante (e destemperado) Olavo, no seu desespero com a irracionalidade e burrice reinantes, tenha partido para englobar tudo, tudinho, numa gigantesca conspiração. Nada é o que parece ser.  Resolveu tantos problemas, provou tantas coisas que num fenômeno perfeitamente compreensivel partiu para uma teoria total, uma explicação completa.  Leu tanto, aprendeu tanto, e por não ter  nenhum interlocutor à sua altura ficou falando sozinho, o que é um perigo. Soma-se isso a um gigantesco sentimento de impotência por não conseguir interferir nesse processo de emburrecimento geral e total.  Ouvindo-o vou concordando, mas de vez em quando vem um baque:  Olavo ultrapassou um certo limite. Tenho um ótimo exemplo, que acredito já coloquei no blog: Olavo atribui oportunismo, demagogia, ao racismo de Hitler. É espantoso, absurdo, e para quem não o conhece pode ser motivo para nem querer ouvir falar em seu nome. Sem dúvida ele se confundiu com as críticas que Hitler fez ao livro de Alfred Rosemberg, o teórico do racismo no Partido Nazista. Mais do que críticas foram até zombarias. Que eu me lembre ( não vou atrás do texto) ele disse: ” Não sei como alguém aguenta ler esse calhamaço de idéias confusas”.

Olavo está abismado, chocado, com o mundo de mentiras no qual vivemos. Ele afirma que tudo é falso e tem toda a razão. Vai daí, pega essa passagem na história do nazismo e dá a ela um significado que caminha nessa direção: o racismo de Hitler era para inglês ver. Acho incrivel que ele não conheça uma das personalidades mais fascinantes de toda a história, e mais incrivel ainda que coloque no mesmo caldeirão de mentiras consagradas o horror patológico que este personagem tinha pelos judeus. Poucas horas antes antes de seu suicídio, isto é, um momento extraordinário, ele dita seu testamento para uma das secretárias. Descarrega todo seu ódio, coloca toda a culpa por tudo que existe de ruim no mundo em cima do sionismo.

Um livro monumental, um obra prima, é o “Hitler”, de Joachim Fest. Indispensavel para se entender o século XX, além de uma incrivel análise da natureza humana, que flui como se o autor não se desse conta da profundidade do que escreve. É evidente que Olavo não o leu.

 

 

 

Recebi um artigo do Reinaldo Azevedo enviado por um amigo. Respondi assim:

Sinto insistir no meu cansaço com o entusiasmo inquisidor meio que patológico do Reinaldo. Até agora temos 1 milhão, setecentos e oitenta e oito denúncias de safadezas petistas. Esse negócio parece uma indústria do anti-petismo.
Esta é uma grande bobagem:Azeredo está para o que se passou a chamar de “mensalão mineiro”, ainda em investigação, como Lula estava para o mensalão petista. Refiro-me a seus respectivos lugares. A mesmíssima posição”. É uma piada defender Azeredo. É tucanismo. Está na cara que ele é culpado. Aliás, todo mundo é culpado, não escapa um!     ( atenção: o artigo de Reinaldo tem algum tempo, não sei se voltou atrás nessa horrorosa defesa e não tenho paciência para ir no seu blog dar uma olhada)

“Escrevo o que quero, não o que querem que eu escreva. (Argh! dificil de aguentar o jogo de palavrasNão dependo da boa-vontade de quem me detesta para dizer o que penso.” Nossa, que sujeito corajoso! Quem me dera ser tão valente. Imagino as terriveis ameaças que ele recebe dos detestadores.
Tremenda primadonna! Tremenda auto-estima.

Já estamos doentes de saber que o PT é composto de bandidos; já sabemos que as instituições estão podres. Apenas revirar a lama do chiqueiro dia após dia é nos colocar cada vez mais indiferentes, ou desanimados. Que cansaço. Por que esses articulistas não colocam as Forças Armadas na dança ? Seria muito mais interessante. Afinal, elas sempre fizeram intervenções no processo institucional por muito menos do que está acontecendo.

Duvido que o Olavo de Carvalho aguente o Reinaldo. Pode dizer ” o meu amigo Reinaldo Azevedo”, mas é apenas por necessidade. Principalmente depois de aos berros, aos palavrões, dizer que para ser seu amigo é necessário um monte de qualidades, além da necessidade do candidato haver lido uma biblioteca inteirinha. Vale a pena assistir a esse vídeo do Olavo. É de matar de rir. Ele fica furioso com a hipótese do sujeito querer ser seu amigo.

 
 
 
 
Sambas de breque
 
 
Ah, que saudades do Brasil de antigamente…  Eu estudava com o rádio ligado, torcendo para tocassem os sambas de breque que eram alegres, cheios de gírias que nós adorávamos. O malandro carioca ganhava uma dimensão que hoje sabemos que era puro folclore, mas não havia bandidos assassinos, nada disso. Brigavam com navalha, o que também era objeto de imensa admiração. Para se defender dessa arma o melhor era usar um lenço de seda no pescoço. A navalha batia e escorregava na seda, sem conseguir cortar o malandro.

Para começar coloquei didaticamente o “Meu Romance” ( que não é samba de breque), mas conta como se faz um malandro. Uma línda música na maravilhosa voz de Orlando Silva. É a história de um rapaz da cidade que se apaixona por uma mulher do morro. Ele sofre uma completa transformação, “e eu para te fazer a vontade, tirei fora o colarinho, passei a ser malandrinho, nunca mais fui a cidade,  prá gozar o teu carinho, na tranquilidade“. Isto é, deixou de trabalhar vivendo às custas da moça.  Sensacional quando diz “ e até faço valentia, e tiro samba de harmonia“. É essencial que reparem em toda a letra.   

        OUÇAM e VEJAM :   “Meu Romance”  ( Orlando Silva)     

 

Coloquei depois  os clássicos sambas de breque: “Na subida do morro” ( em duas versões, a do Moreira da Silva e outra onde ele faz dueto com o Ney Matogrosso) , o fabuloso “Acertei no Milhar” que prefiro na versão do Jorge Veiga. Gosto muito também do meio nostálgico “Garota de Copacabana” também com Jorge Veiga.   “O conto do pintor” é tão expressivo que parece que vemos a cena do pintor picareta dando piruetas e sendo aplaudido pelos deslumbrados com a “arte moderna”.  Também coloquei um samba que sempre gostei muito, o malicioso ” Precisa-se de uma cozinheira”. Indispensavel é o samba de breque “Olha o Padilha!”, um retrato do Rio da década de 50, onde a polícia era muito temida pelos malandros – ao contrário de hoje. Este é o mais políticamente incorreto de todos. O delegado Padilha chama a negra, companheira do Morengueira,  de tiziu e de macaca. O delegado era motivo de gostosas conversas entre os adultos, e nós, meninos, acompanhávamos tudo com os olhos arregalados. Muitas saudades da Gávea, da rua Major Rubens Vaz, do fabuloso Jockey Clube, hoje jogado às traças.  

 

(“Olha o Padilha!” foi inspirada no truculento delegado Deraldo Padilha. Era um“Cruel perseguidor de malandros” (Moreira da Silva). Não podia encontrar um malandro de cabelo grande. Parava o sujeito e o mandava raspar a cabeça. Não gostava também de ver homem vestindo calça de boquinha estreira. Quando encontrava um, pegava um limão, jogava dentro da calça do sujeito(…)Se a fruta ficasse presa (…) pegava uma tesoura e cortava a barra da calça. Picotava até o limão passar. (Vinicius Godoy))

 

Olha o Padilha!  (Moreira da Silva)


—-

http://www.youtube.com/watch?v=1kv8CnWhx0E&list=RDadhVECyEppY&feature=share&index=4  Acertei no Milhar  (Jorge Veiga – 1959)

 

    –   O Conto do Pintor  (Moreira da Silva)

—-


Na Subida do Morro ( Moreira da Silva

 

—-

Precisa-se de uma cozinheira   (José Marques)
—-

Garota de Copacabana  (Jorge Veiga)

—-

Na Subida do Morro(Moreira da Silva e Ney Matogrosso)
—-

22 fevereiro, 2014 às 02:07

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (10)

 

  1. brasilacimadetudo disse:

    Olá, Claudio.
    Afirmo que duro você não foi no seu último artigo. Primeiramente obrigado por responder ao meu último comentário(as vezes achamos que ninguém vê).
    Posso não ter uma experiência para com estratégia militar ou guerra de informações(e nem está na cúpula). Porém eu vejo um contraste na resposta do Cel. Estamos em um momento crucial de nossa história, onde é clara a destruição da soberania Venezuelana e isso já basta para um alarde no continente, pelo menos diplomaticamente.
    É politicamente correto impregnado nos ideais militares? O Olavo vem avisando a mais de 20 anos – e ele já esteve contra os milicos – sobre o que está ocorrendo e agora ele é “mal educado”. Não só assisti vídeos dele. Li quatro de seus livros e algumas fontes dos mesmos, o suficiente para dizer que estamos no limite.
    Informe a ele que estamos numa luta ideológica onde a educação polida para com canalhas não existe e as FFAA são feitas da população que está com a doença esquerdopata.
    Digo, sou praça da ativa, porém não infrinjo nenhum regulamento ao cumprir meu dever de cidadão por sentir nojo da canalhice instalada.
    Para ele não basta o desaparelhamento das FFAA, o desprezo para com seus integrantes menos graduados e, ainda, a bem montada Garda Nacional com sua diária bem paga mais o salário e seus equipamentos? Não uso aqui a retórica, é o real! é o que está acontecendo! Eles estão com sua agenda formada desde 1990 – FORO DE SAO PAULO – O governo FHC foi só o abre alas que mais desmoralizou as FFAA. A falta de interesse ou burrice é notável. As formaturas não falam nada de real. E as palestras de esquerdistas na ECEME, como bem Olavo alerta. E ele é “mal educado”. Digo mais, repare no terreno hoje e nos anos 60, quando jango era presidente. No campo eles tem um exercito – MST – nas cidade os sindicatos, os estudantes e até a classe média(em sua maioria), sem contar com o bandidos – CV – os potenciais revolucionários. O STF parece um jogo de cartas marcadas, só serve para aceitar o que vem do presidente, o estado está toso aparelhado e o mal educado é o Olavo de Carvalho?
    Desde de Geisel os comunas estão por aqui, como o GEN Sylvio Frota mostra em seu livro:

    http://www.midiasemmascara.org/arquivos/6414-ideais-traidos.html

    Aconteceu ano passado, não vi brasileiros, mas…

    http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2013/08/foro-de-sao-paulo-inicia-o-envolvimento.html
    Em espanhol:
    http://www.noticiasclic.com/unificar-fuerzas-militares-de-alba-propone-morales
    Como será que está o nível dessas negociações?

    Em relação a crítica a Olavo, sem ser advogado de defesa, acho que você compreendeu mal, sei que ele fala dessa parte de Hitler, mas não sobre a égide de que ele não era racista.
    E devemos idolatra-lo sim, pois ele está tentando, desde muito tempo, abrir -nos para um mundo do qual somos negados a todo instante. Ele é uma personalidade universal que demoramos a ter no país e muita gente fica com mesquinharia para dizer que ele “é o cara”.
    Ademais, mais uma vez agradeço pelo espaço aberto para com a verdade e seu engajamento.

    • claudiomafra disse:

      Eu é que agradeço o seus comentários, generosos em informações.
      Quanto ao Olavo, eu vou procurar o texto (não vai ser facil) e verificar se entendi mal. Outra vez obrigado, e um abraço

      • brasilacimadetudo disse:

        Achei um texto em que ele toca no assunto:
        A VITÓRIA DO FACISMO, pag. 105 de O Mínimo que você precisa para não um idiota.
        “Hitler confessava, em privado, não acreditar nem um pouco na discurseira racista que usava para infundir nos alemães um sentimento de ódio travestido de amor à justiça.”
        Parte ínfima do texto.
        Ele tenta explicar como, o estado de coisas em que vivemos, é imposto por agentes que não acreditam na baboseira que eles mesmos nos enxertam. O mesmo aconteceu com Hitler, que com seu discurso anti-comunismo ganhou os empresários para depois joga-los nos campos de concentração e com o racista jogou toda culpa da exploração econômica, na Alemanha, nos judeus.
        Posso estar engando mas confessar não acreditar, não quer dizer “não ser”.
        Sobre todo o resto seus comentários são ótimos e reais, só essa pequenina parte que discordo…rs
        Em relação ao General Gonçalves Dias, eu vi com meus próprios olhos, ele, em 2010 na cidade de Marabá-PA, quando o Sr. BostaLula visitou para inauguração de uma obra. O contato foi rápido, mas observei a presteza do Exmo. Gen.
        Fiquei responsável por uma sala no aeroporto de Marabá EXCLUSIVAMENTE para a comitiva. Eu estava fora da sala e escutei o bebum gritando e com raiva com algo de errado(ou não) que fizeram e um major da aeronáutica(sob ungidos dentro da sala) olhou para mim e falou: “Estudei tanto para estar nesta m…” ele era controlador de voo da comitiva e toda hora, afirmou, tinha que replanejar e replanejar porque nunca se decidiam(o LULA).
        Desculpe-me os erros de sintaxe. Abraço

        • claudiomafra disse:

          Caríssimo,

          O texto que vc achou vai de encontro ao que eu disse. Olavo argumenta que Hitler não era racista, apenas jogava para a platéia. Este é um tremendo erro. Não sei de onde ele tirou a informação de que “Hitler confessava, em privado, não acreditar nem um pouco na discurseira racista que usava para infundir nos alemães um sentimento de ódio travestido de amor à justiça.”

          Por favor, continue nos municiando com suas informações. O episódio em Marabá é muito significativo. Grande abraço.

  2. brasilacimadetudo disse:

    Ainda, sobre a conspiração planetária da esquerda, ver:
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=I0Aq5SQrIEg

    As técnicas são as mesmas, o que mudou foi quem é o interessado agora:

    http://www.youtube.com/watch?v=iK4kZSU-5Cg

  3. Marco Balbi disse:

    Valeu, Cláudio!

  4. Eduardo S. P. disse:

    Olavão, Dora Kramer, Reinaldo Azevedo, etc…
    Mafra, tu já cogitou postar/separar uma reflexão por post?
    Mais postagens, facilidade para o leitor encontrar o tópico/tema desejado, indicar, linkar, debater, endossar e rebater.
    Para os teus ávidos, menor a espera pelas próximas reflexões.
    E alguns temas – atemporais fora – podem ser detonados ainda no forno.
    Enfim, é isso… grato pelo espaço.
    PS- Ann Coulter é uma gata!

    • claudiomafra disse:

      Sim, Eduardo, estou pensando exatamente nisso. Ann Coulter é uma das minhas gostosas de direita. abraço

  5. Gustavo Rocha da Silva disse:

    Prezado Claudio Mafra

    Tenho a impressão de que “O Conto do Pintor” foi composto como sátira a uma visita ao Rio (com exposição) de um pintor francês chamado Mathieu, que esteve por aqui em 1959 ou 1960.

    Mathieu criou um estilo chamado “tachisme” (tinha de ser em Francês, né?) que consistia em jogar as tintas na tela, o que é comentado no samba, bem como o deslumbramento de alguns endinheirados com a “arte moderna” (Roberto Marinho comprou um de seus quadros). Além disso, a referência a “vassouras com feitio de espadas” nos remete à campanha presidencial de 1960, quando Jânio Quadros (“a vassoura que iria varrer a corrupção do país”) disputou com o Marechal Lott (o infeliz da “espada de ouro”, que motivou belo poema de Manuel Bandeira).

    Tem mais: Para Beethoven, Arrau, Arrau e Arrau, sempre Arrau!! Procure ouvir o segundo movimento da Sonata n°3 opus 2 n°3 (em Dó Maior) por vários pianistas e compare com Arrau. Nenhum dá sequer para a saída, e veja que me refiro a Kempff e a Maurizio Pollini. O mesmo vale para a Sonata n°32 onde, no segundo movimento, (um tema com variações) só Arrau dá a uma das variações o tratamento sincopado que a faz soar como um “charleston”.

    Pollini é ótimo tocando Chopin, porque o faz de maneira algo contida, sem exagerar nos “ralentando”, pecado que Arrau comete, sem dúvida. Mas, como dizia meu pai, “perfeito só Bach”.

    E viva a “Sonata, quase uma fantasia”, nome que Beethoven deu ao que viria a ser conhecido como “Sonata ao Luar” !!

    Abraços.
    Gustavo

  6. claudiomafra disse:

    Não sabia da vinda do tal Mathieu, não tinha essa informação tão precisa.

    É uma pena que Polini tenha gravado pouco. abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *