O xexéu gorjeia no jirau do chuchú – Comentando um artigo do Artur Xexéo (O GLOBO) sobre Bolsonaro

Artigo no blog de Artur Xexéo  ( O Globo) 

Bolsonaro, o pequeno

Img_13062013001

Eu não gostaria de ser vizinho do deputado Jair Bolsonaro. Engraçado, Xexéo, mas a recíproca deve ser verdadeira. Nos fins de semana o deputado se encontrar com um famoso colunista esquerdinha-fofoqueiro parece bastante estressante. É claro que ele gostaria de te dar uns trancos, mas infelizmente não pode. Bolsonaro é um sujeito violento, provavelmente por natureza, e sua raiva deve ter aumentado por ser obrigado a tratar com a corja do Congresso, denunciar os canalhas do governo e suportar os zumbis da imprensa. Quando consegue discursar o plenário está vazio, ou ninguém presta atenção.  A esquerda patrocina a sua imagem de folclórico, doido, e um exemplo da truculência militar. Veja, Xexeo, você tem muito mais poder de difundir o que pensa do que ele. Entope a cabeça de dezenas de milhares de leitores com mentiras, algumas fabricadas pelo seu cérebro de pudim, e outras que vêm da extraordinária confraria fascista da qual você faz parte. A paciência do Bolsonaro com um tipo do seu quilate deve ser nenhuma. É muito bom que vocês não estejam próximos um do outro. Bem, ninguém gostaria de ser vizinho do deputado Jair BolsonaroFale por você. Isto diz muito sobre a sua personalidade totalitária. Eu, e milhares de pessoas, acharíamos otimo sermos seu vizinho. Você se julga inteligente, engraçado, mas não passa de um reles produto brazuca de quinta categoria originário de uma longa linhagem de místicos do socialismo.  Afinal, correr o risco de, diariamente, dar de cara com seus maus bofes no elevador, não é uma perspectiva agradável. O seu texto é previsível e demagógico. Mas, esta semana, o deputado deu mais um motivo para eu morar o mais longe possível dele. Ser vizinho de Bolsonaro significa ser vizinho também do Hotel Sheraton Barra. E, como agora todo mundo sabe, tal hotel possui um gerador de energia elétrica barulhento que não deixa ninguém das redondezas dormir. Mas o pior é que os vizinhos do deputado, depois de passarem a noite em claro, também não conseguem tirar uma soneca extra pela manhã. É que, de manhã, o próprio Bolsonaro aumenta o barulho da região soltando rojões em frente ao hotel. Deu pra entender?  Sim, entendemos perfeitamente, e achamos muito divertido. O deputado resolveu fazer o que todos nós gostaríamos: responder com outro barulhão, atormentar os donos do maldito hotel, atrapalhar seus negócios. Deve ser ótimo ter imunidade parlamentar. Se eu morasse perto aproveitaria para tirar uma casquinha, usando os meus próprios rojões sem que ninguém visse. Causar estrondo deve provocar uma excepcional catarse.  De noite, é o gerador; de manhã, é o Bolsonaro. E ninguém tem sossego. Você deve estar mentindo. O mais provavel é que ele escolha o momento adequado para soltar os rojões. Não me leve a mal, mas por acaso você  foi, ou ainda é, do Partidão ? Não sei porque me ocorreu a pergunta, mas talvez seja o seu estilo, muito parecido com o do chatérrimo e dinossáurico comuna Veríssimo. Já vi, mais de uma vez, o deputado na televisão orgulhando-se da educação que dá a seus filhos. Geralmente os militares educam muito bem seus filhos. Isto é um fato. São disciplinados desde cedo, o que vai lhes facilitar a vida mais tarde. Na maioria das vezes estão mais próximos da Matemática do que das Humanidades, ao contrário da tendência dominante nas sociedades em todo o mundo. Desta maneira não se perdem num emaranhado de conceitos relativistas, o que evita que sejam a favor do politicamente correto.  Se o deputado quer que seus filhos sejam iguais a ele, então seu desejo é ter herdeiros desordeiros, arruaceiros, bagunceiros, homens que desrespeitam as regras de convivência numa cidade. Você ofende através de um encadeamento de lugares comuns. Está colocando suas observações cansativas e hipócritas acima da análise do ato sociológico. E logo vocês, que enxergam um ato político até quando alguém chupa um Chica-Bom. Ao soltar os rojões, Bolsonaro está desmoralizando o estado que não nos protege. Até um bêbado de botequim percebe. Você ainda não entendeu que o Brasil precisa de radicalismo, de gente inconformada que possa dar murro na mesa e dizer “BASTA, eu não aguento mais!” . Desrespeitam as regras de convivência numa cidade”!  Ora, você só pode estar brincando. Parece que o Rio é Oslo, ou Helsink. Ora, sêo Xexéu, esta cidade é dominada por bandidos, a começar do próprio governador. As “regras de convivência “são aquelas determinadas pelas gangues e criminosos comuns. Na “convivência” andamos amedrontados nas ruas olhando para os lados, evitamos gente mal encarada, só carregamos um cartão de crédito, relógio apenas os falsificados, recebemos instruções para não reagir se formos assaltados, quando um mendigo vem pedir esmola logo esperamos o pior, não enxergamos nada dentro dos outros carros, de madrugada furamos os sinais vermelhos de trânsito, morremos de medo do que possa acontecer aos nossos filhos. Teoricamente, Jair Bolsonaro é um homem das leis. Interessante, talvez você esteja confundindo congressistas com juizes. Os congressistas (deputados e senadores), criam as leis nas diversas legislaturas (de quatro em quatro anos) – o que implica em que seus membros nem de longe as conheçam na sua totalidade, ou mesmo uma pequena parte. Muitos nem são reeleitos . Os juízes, estes sim, trabalham com elas dia e noite. Qualquer um que tiver “fé pública” é um homem da lei. Se o hotel desrespeita as leis, ele deveria saber o que é preciso fazer, legalmente, para interromper o barulho que tanto o incomoda. É provavel que ele saiba o que fazer tanto quanto você e eu. Não se finja de bobo. Impedir esse barulho deve ser difícil, a maior canseira com a justiça. Um deputado da Oposição não consegue evitar que o hotel faça o que bem entender, a não ser que gaste todo o seu tempo no plenário tratando do assunto. Melhor soltar foguetes e provocar notícia. Muitíssimo mais facil para um jornalista.O hotel, é claro, tem mais medo de você do que dele. No entanto, prefere agir como um troglodita. Deputados, supostamente, representam o povo. Então, que fique bem claro: Bolsonaro, você não me representa. Nossa, que violência! O Bolsonaro vai ficar tristíssimo com essa declaração. E veja bem, seu ignorante, quem representa você é o deputado no qual VOCÊ VOTOU!

 

 

 

 

 

Political Cartoons by Lisa Benson

 

 

 

 

 

Political Cartoons by Gary Varvel
Political Cartoons by Steve Breen
Political Cartoons by Chuck Asay
Political Cartoons by Henry Payne
Political Cartoons by Steve Breen
Political Cartoons by Bob Gorrell
Political Cartoons by Gary Varvel

14 junho, 2013 às 19:29

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (8)

 

  1. Marco Balbi disse:

    Gostei muito! Estou difundindo!

  2. Rodrigo D. disse:

    Adorei a defesa ao Bolsonaro. Eu realmente gosto dele. Não concordo sempre com ele, mas quem disse que para respeitar alguém eu preciso concordar sempre. Para concordar sempre, só ovelha comunista.

    Aliás, anota ai o novo slogan:
    “Antes um porco capitalista que uma ovelha comunista”.

    Abraços e continue com o excelente trabalho.

  3. Felipp Frassetto disse:

    Bolsonaro, assim como o coronel Brilhante Ustra, são bodes expiatórios pra essa porcaria que temos que chamar de imprensa hoje em dia.
    É literalmente engraçado como ela assesta os canhões para uns poucos, reclamando de uma coisa que acabou há uns 30 anos mas que querem fazer crer que ainda continua, COMO SE esta mesma imprensa não soubesse que o governo por ela apoiado faz coisas dignas e legítimas, agora sim, de uma ditadura.

    Claudio, aproveito para perguntar uma coisa que talvez seja um pouco fora do assunto.
    Acaso você saberia dizer a quantas anda um projeto de lei anti-terrorismo no Brasil? Esse “projeto”, no sentido pejorativo mesmo, exclui o enquadramento de “movimentos sociais” como possíveis perpretadores de atos terroristas. Você saberia de algo?
    Abraço!

  4. O problema já se arrasta há cerca de um ano, nas palavras de Bolsonaro. Por isso ele diz que decidiu soltar rojões toda vez que passasse na frente do hotel. A ação já se repete há nove meses e, segundo o parlamentar, não tem nenhuma relação com chegada da seleção italiana de futebol ao local – o time é um dos participantes da Copa das Confederações.

  5. Luiz Antonio disse:

    Muito bom o assunto Bolsonaro, parabéns.
    Aproveitando o espaço vós pergunto onde anda o lulla? Na África ou…….?
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *