Os colunistas políticos e a porcada

Será que os importantes colunistas políticos Dora Kramer, Merval Pereira, e muitos outros, sabem que escrevem todo o dia a respeito do ridículo ? Analisam declarações dos acafajestados políticos brasileiros, analisam a “conjuntura nacional” como se houvesse alguma seriedade em alguém, ou em algum lugar. Deveria ser um martírio, mas lá estão eles, todos os dias, revolvendo aquela cloaca, criticando esse ou aquele, elogiando alguns, enfim, incansaveis lá estão, ano após ano, quase cegos para a imundice absoluta, total, que são os políticos, seus partidos nojentos, a Justiça brasileira, a forma como se governa, e naturalmente, o próprio país, que está em queda livre no respeito à etica. Claro, precisam sobreviver, precisam do emprego, e continuam escrevendo (alguns deles muito bem), mas será que nunca hesitam, descobrem-se no vazio opressivo, e então se deprimem ?

São poderosos, e portanto bajulados. Recebem diariamente telefonemas de aflitos personagens que pedem para que isso ou aquilo seja publicado, e também “esclarecimentos” de figurões do governo, recheados de elogios ao talento do colunista, e assim por diante. Essa adulação, esse imenso poder, deve ser o componente mais importante para que possam continuar escrevendo sobre as galinhas e o galinheiro como se fossem leões na linda, infinita, savana africana. E dessa forma tornam-se parte da mediocridade geral, incorporando-se à moldura do quadro da porcada com a qual lidam de dia e de noite.

O mais notavel é que depois de décadas e décadas, ainda encaram os roubos como um escândalo. Não perceberam que é uma regra, e não exceção. E muitíssimo mais importante: Nem desconfiam que as roubalheiras seguidas de impunidade ( retro -alimentação), fizeram com que o roubo se instalasse na alma do brasileiro. Todos estão à venda, dependendo do valor a ser pago. É dessa forma que deve ser analisado o fenômeno da corrupção no Brasil. Não existe a dicotomia político malvado e povo bonzinho. Nossos colunistas passam longe dessa verdade ( que outra explicação haveria para o fenômeno ?) Deveriam estar perguntando como chegamos a esse ponto, e qual seria a saída, mas pelo contrário, expõem as colossais roubalheiras que estouram todos os dias como se fossem fatos isolados. Claro que de vez em quando sugerem que o país está podre, e comentam com estudada cautela o comportamento, ou o cinismo de algum político, usando do que eles imaginam ser uma fina ironia. É o máximo de hostilidade que conseguem demonstrar para alguns importantes nomes da república que são responsaveis pela aceleração do caos moral que vivemos. Têm medo de perderem o diálogo com os ladrões, e dessa maneira serem privados de suas fontes de informação. Acomodam suas consciências com a desculpa de “um pacto com Satã para expulsar o diabo”. Sei que vão dizer que o problema é mais complexo, que estou simplificando de maneira brutal, mas a verdade é essa mesma, e não tenho mais paciência com o relativismo.

Manchete de primeira página do Estadão: ” Dilma afasta deiretor executivo do Dnit após novas denúncias. ‘Estado’ revelou que a mulher de José Sadok teve R$ 18 mi em contratos de obras” . Bem, eu não sei o que é Dnit, ou quem seja José Sadok. Apenas chamo a atenção para o detalhe “ após novas denúncias”. É sempre assim, são necessárias várias denúncias. Uma coisa é certa: no Brasil inverteu-se a premissa famosa, e quando o roubo chega a ser notícia podemos dizer que a pessoa é culpada até que prove sua inocência. Nesse caso do tal José Sadok também não poderia faltar o hilariante ” Ele responderá a processo administrativo disciplinar, que pode resultar em demissão”.   Nossa, que coisa horrivel, o Sadok pode ser demitido!!!

E muitos de vocês se acostumaram a ler essas colunas todos os dias. Isso faz mal. Pode levar a que pensem que vivem em um país civilizado. Ou, no caso dos roubos, ficar com raiva e, pior, fascinados com os milhões depositados no exterior. O mais provavel é que leiam como zumbis, e suponho que dessa maneira estejam entre a confortavel maioria.

Por último: Enviaram para mim uma foto da Dilma, no dia da posse, recebendo os cumprimentos da Erenice Guerra, que está na ala feminina da roubalheira. A imprensa disse que Erenice ficou no lugar destinado a convidados especiais e foi efusivamente cumprimentada pela Dilma. Coloquei uma segunda foto, das duas grossas acenando para nós. Reparem como parecem porcinas . E vejam como estão felicíssimas. É isso. Duas porquinhas levadas. O convite para Erenice foi um atestado passado em cartório de que não haveria dilema para Dilma em conviver com a corrupção descarada. A foto da posse mostra a cafonice que se apossou do país, a macunaímica república de ladrões que os nossos colunistas insistem em levar a sério.

18 julho, 2011 às 01:18

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (2)

 

  1. 27burton disse:

    sabe… penso a mesma coisa. É ridículo ver muita gente escrevendo.. de forma até amistosa..as mesmas vgabundagens de sempre. É sempre a mesma merda jogada no ventilador.. e ninguém liga pra nada. O Lula em plena campanha eleitoral e inaugurando obras .. e tá tudo bem. Demitem a galera do PR no DNIT e os que entram.. todos já sabem.. trata-se da mesma corja. adoram falar de juros e tributos.. ora ora.. pior do que isso é saber que o dinheiro é mal gasto… gasto, aliás.. por gente ineficiente..versada em bajular e ocupar posições no governo. Somos mesmo um grupinho de gente safada doida pra se lambuzar no banquete do rei.
    putz.. q merda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *