Yoani-Obama. USA: Potência de Segunda Classe ? *

Yoani II

O gerente da melhor tabacaria de Havana separava charutos enquanto defendia alguns aspectos do governo. Quando começou a teorizar sobre a liberdade eu não deixei: “ Ivan, você tem 42 anos, já nasceu sob o regime, não sabe o que é liberdade. Essa é uma experiência de vida.” Ele parou, pensou um pouco, o silêncio foi crescendo, e a voz, que antes era bem animada, voltou tristíssima: “É, você tem razão, eu não posso falar sobre isso”. Ficou mudo. Em fração de segundo estava abatido, humilhado pela constatação de que não conhecia um valor básico do ser humano, mesmo sendo culto e educado.  Quarenta e dois anos de idade! Será que só havia feito essa descoberta agora, alí, junto comigo? Antes que eu abrisse a boca, ouvi a moça atrás do balcão: “Amanhã eu faço 23 anos. Todos os dias, na hora de dormir, eu penso se vou conseguir sair daqui .” Fiquei olhando. De uma hora para a outra eu estava em uma pequena sala com dois condenados. Tão bonita e tão sem esperança, tinha medo de envelhecer na prisão. Ivan, que deve ter sido até do Partido (ou ainda é), continuava mudo. Talvez estivesse com vontade de que eu fosse embora. A moça continuava a falar, e me lembro ainda de seu vizinho que vigiava todo mundo, no prédio e na rua. Fez um gesto de desânimo e também ficou quieta.

Umas duas horas depois eu ia voltando pela mesma rua e resolvi entrar outra vez na loja, ansioso pelo ar condicionado. Empurrei a porta e vi que imediatamente Ivan me fez um sinal de dedo na boca, para eu ficar calado. Havia uma quarta pessoa na tabacaria, olhando os charutos na vitrine. Eu me virei a tempo de perceber que o estranho nos acompanhava pelo reflexo no vidro, e o gesto poderia ter sido visto. Mas que bobeira do Ivan! Não saber do reflexo! Fiquei muito chateado por estar causando problemas. O estranho era tratado com enorme respeito. Quando saiu fiquei sabendo que era Euzébio Leal, o responsável geral pelo Patrimônio de Havana, amigo íntimo de Fidel,  mas não havia motivo para preocupação. Anti-climax.

Claro, isso não é nada perto das barbaridades que conhecemos, e acabei de me lembrar da foto da Yoani de muletas, depois da surra que os policiais lhe deram. De muletas e recebendo as respostinhas do Obama, o homem que com um murro na mesa poderia tira-la de Cuba (se Yoani quisesse), ou apenas dizer: “ Se encostarem nela outra vez, vão se arrepender.”  Vocês acham que eu estou confundindo briga de rua com política internacional ? Coisa de machão ? Bem, ele é o homem mais poderoso do mundo. Se quiser mandar um avião obliterar o lugar onde se encontra Fidel isso acontece rapidinho. É exatamente assim, como eu acabei de dizer, embora tentem convencer vocês do contrário. E milhões de pessoas, cheias de vida, sem minhocas na cabeça, iriam explodir de alegria em todo os continentes. Mas, e o Congresso americano ? Ora, ele inventaria mil explicações, e podem ter certeza, iria se sair muito bem, com total apoio dos republicanos e maioria dos democratas. Teria criado uma imensa crise, que só ajudaria os cubanos. E poderia dizer: “Achei que eles já passaram da conta”.

Que pena não termos um Reagan nesses tempos em que não existem mais adversários para os Estados Unidos.

É importante ter consciência do que os liberals tentam esconder: não existe mais URSS, não existe nada, coisa alguma que possa impedir os Estados Unidos de tomarem posições radicais ao redor do mundo. Nenhuma consequência importante. A “reação mundial” é criada por eles, liberals, porque serve aos seus propósitos. Ela seria muito fraca, sem a reação doméstica, a reação que eles próprios provocam e incentivam. Uma é conseqüência da outra. O anti-americanismo mundial cresce, e ganha corpo, a partir do que eles fazem  dentro de casa. Esse é o problema que vivem os Estados Unidos, principalmente a partir dos anos 60, e da guerra do Vietnam. A sabotagem interna. É assunto para um livro, não para um pequeno artigo.

Gosto muito de Cuba. A música, o povo, os casarões, as velhas cidades em ruinas, os puros, os daiquiris, as praias desertas,  a costa norte que percorri de veleiro, a região oriental com suas matas, a curiosidade que não acaba nunca por estar em um regime comunista, acho tudo ótimo, mas, graças a Deus, ainda escrevo alguma coisa, porque, caso contrário, acredito que essas minha visitas seriam imorais. Parece que eu estou me aproveitando da desgraça alheia. Um bando de comunas latino-americanos, isto é, gente sem nenhuma tradição guerreira, aliás, sem tradição de qualquer espécie, toma o poder, escraviza 11 milhões de pessoas, cai o Muro de Berlim, eles tremem de medo ( o único corajoso em Cuba é Fidel),  não acontece nada e fica por isso mesmo? Os pobres cubanos estão aguentando esse inferno há 50 anos!!! A vida é muito curta para ser gasta assim! Pessoas nascendo e morrendo aterrorizadas, sob um regime comunista, bem aqui, ao nosso lado. E os poucos a favor do regime  não tem nem balas para seus fuzís.  Quando os barbudos derrubaram o governo houve uma figura popular que disse: ” Só se salvarão os que souberem nadar”. Ficou conhecido como” O Profeta” .

Agora vemos Obama respondendo às moderadíssimas perguntas da Yoani ( se não fossem assim ele jamais responderia), e é um primor do não dizer nada, insípido, bobo, sem alma, milimétricamente cuidadoso para não ofender a corja que está no poder. Do que  ele tem medo para não rasgar o verbo, berrar que gostaria que o regime caísse, que são uns ordinários, uns ladrões roubando e tiranizando seu povo (exatamente o que McCain declarou – um jornalista cubano me disse – todos os cubanos viram e ouviram pela TV), o que é que pode acontecer de ruím para os Estados Unidos ? Vai prejudicar o diálogo com a China ? Com o Iran ? Com a Rússia ? Por que isso aconteceria? Será que  não poderia ter sido um pouquinho mais agressivo nas respostas que deu? Ninguém para contar a ele que a Guerra Fria acabou, que esse povo que está alí, pertinho de Miami, merece mais compaixão, que Raul é um cucaracha ridículo, que basta um tapa para ele cair no chão? Fica esse galinha morta  tratando Yoani como se ela fosse uma dissidente dentro da URSS nos tempos de Stalin. Outra coisa: Cuba está nas Américas,e esse negócio de comunismo por aqui não era permitido, estava fora do ” acôrdo” geopolítico entre Os Estados Unidos e a URSS.  Se não fosse pela covardia de outro liberal, Kennedy, com sua recusa em dar cobertura aérea aos invasores da Baía dos Porcos, em 1961, a história poderia ter sido mudada. (E uma invasão armada por ele).

E estivemos perto do fim do mundo justamente porque os Estados Unidos aceitaram esse regime.  Quando se tornou uma questão de vida, ou morte, Kennedy precisou reagir, e ficou acertado que os foguetes russos seriam retirados em troca da escravidão perpétua dos cubanos. ( e  mais alguma concessão na Turquia). Não existem mais os soviéticos, mas deixaram a sua maldição na ilha . Na Coréia do Norte não podemos encostar, eles têm a bomba. Mas, por que não em Cuba ? Que tal levar o ‘” USS Ronald Regan” , e sua escolta ( veja foto abaixo), para a frente do Malecón ? Somente para os marinheiros apreciarem a espetacular vista de Havana.  O que é que pode acontecer de ruím?  E se fosse para dar um pouco de esperança aos cubanos, e um pequeno aviso para os tiranos ? Eu posso ver a cena: Milhares de pessoas, talvez centenas de milhares,  em frente ao mar, dando pulos de alegria, pessoas nas janelas dos apartamentos, olhos fixos naquela maravilha, bem visivel, poucos quilômetros da costa. Lenços brancos acenando. A polícia acovardada: ” Será que chegou a hora? “.  É isso mesmo, será que chegou o momento tão temido ?  O estoque de run da ilha acabando. Viriam habitantes de toda a Cuba para Havana. Felicidade maior só quando os membros do governo forem presos.  

Ampliando a área do debate:  Incrivelmente os liberals fizeram com que o papeis se invertessem. Quem precisaria do “diálogo”  seriam Iran, Coréia do Norte, Síria, Afeganistão, Cuba. Precisariam do diálogo para evitar que os Estados Unidos usassem a força bruta contra eles. A situação surrealista é a do grande poderoso procurando os fracos, tentando desesperadamente conversar, enquanto eles esnobam, como se fossem potências militares. Pensem um minuto sobre isso. E o tempo corre contra os Estados Unidos. Sua situação já foi muito melhor, quinze anos atrás. E a cada minuto que passa o Iran chega mais perto da bomba. E já basta que Coréia do Norte, Índia e Paquistão sejam do clube, tudo por culpa da URSS. Naqueles tempos não se podia evitar. Agora sim, é possível, é imprescindível, mas “aos melhores falta convicção”, não é mesmo ?

Fico imaginando o quanto que o pensamento liberal nos influenciou, nos acovardou. Hoje, os Estados Unidos precisam até esconder o seu monstruoso poderio militar para melhor justificarem sua inércia, sua falta de vontade em empregar a força quando necessária. E as regras para entrarem em combate? As mais absurdas que o mundo já conheceu. (assunto para outro artigo)Nos meses subseqüentes ‘a queda do Muro, os Estados Unidos deveriam ter dado um ultimatum a Fidel. Com um único porta-aviões os americanos dominam todo o Caribe. Os da classe Nimitz , atômicos, carregam uma população de 5 mil homens, e podem ficar 15 anos no mar sem se reabastecer .Um avião pousa, ou decola, a cada 25 segundos. Velocidade : espantosos 60km por hora.  Os Estados Unidos tem 10 desse tipo, fora os de propusão a diesel.  A China? Nenhum. Rússia? Um ferro velho que vai ser desativado. Com dois porta-aviões estacionados no Mediterrâneo, e um no Atlãntico Norte, os Estados Unidos dominam toda a Europa! São verdadeiras ilhas que eles levam para onde quiserem. E os submarinos atômicos ? Estados Unidos, um montão. China ?  Dois. Rússia ? Alguns, porque a maioria virou ferro velho. Bem, porque é que Bush não fez nada a favor de Cuba?  Eu penso que haver invadido e tomado dois países, lutando contra tudo e contra todos,  já foi muito. A imprensa liberal acabou com ele. É o que eu disse sobre a reação interna que provoca a externa .Tornou-se o homem mais odiado desde Hitler. Para ajudar Cuba só com um governo republicano e um Congresso também republicano, e nenhum outro assunto de guerra. Mas acho impossível que Bush respondesse  para Yoani da forma ridícula como Obama fez.

Se amanhã Obambi ficasse “louco” e ordenasse que dois porta-aviões estacionassem em frente da costa venezuelana, o que vocês pensam que Chavez faria ?  (Aliás, cada porta-aviões leva consigo mais uns 7 poderosíssimos navios) . Eu acho que ele ficaria quietinho. Aterrorizado. A quem ele poderia pedir socorro? Para o Iran ? ( Vide meu artigo “ Duas charges que valem por muitos artigos” ). Pedir socorro à China ? Essa é outra que precisa de tempo, de muito tempo, e também preferiria ficar muda. Quem mais ? Iria pedir ao Putin para mandar o seu destroyerzinho passar outra vez pelo canal do Panamá? Iria pedir socorro ao cafajeste que é o nosso presidente? Ah, mas os russos poderiam retaliar na Georgia. Poderiam porque Obambi suspendeu a construção do escudo nuclear na República Tcheca e na Polônia. Basta acenar com o escudo que a Rússia fica comportada,  ou vai  quebrar de novo feito na década de  noventa.  Mas, nesse caso, a China daria força para a Coréia do Norte. Mais força ainda? Há 20 anos que os Estados Unidos estão pedindo a ajuda chinesa para evitar uma hecatombe na Ásia e nada, o único país do mundo que mantem relações com aquele hospício se recusa a mover uma palha. E existe outra variavel importantíssima para o problema militar chinês. O Japão. Liberar o Japão para que se arme. Os chineses são fregueses dos japoneses, tem pavor deles. ” Poucos asiáticos se recordam do Império Japonês sem sentir ódio “  (Patrick Buchnam). Um Japão armado neutralizaria a China.

Toda essa história de Russia e China ajudarem o Iran está centrada unicamente na falta de reação americana. Com Bush, eu já disse, tudo girava em torno das duas guerras. Não que essas fossem absurdamente dificeis. O quase impossivel era lidar com os liberals, com sua imensa  cadeia de jornais e televisões, despejando mentiras, forjando a figura de um presidente burro, incapaz, desonesto, criando a momumental calúnia de que as armas de destruição em massa haviam sido pretexto para fazer uma guerra pelo petróleo. Bush é formado por Harvard e Yale e é graduado pela Escola da Força  Aérea Americana. Isso é pouco ? Deixando as universidades de lado, vocês acham que é facil pilotar um F-104 ? Tudo computadorizado. É facil ? A imprensa aproveitou sua imensa dificuldade de se comunicar pela TV, exatamente o contrário do seu sucessor, o rei do teleprompter. E as críticas ao seu governo incentivaram o terror.  Para os liberals, a culpa sempre foi dos Estados Unidos. Quantos artigos não deram razão indireta aos terroristas ? Patriotismo e pensamento liberal nos Estados Unidos se opõem. E até boas figuras no Brasil falam na “engenharia política  ingênua, tola, de se tentar uma democracia no Iraque” . Entraram na onda da oposição americana. Acho que consegui deixar claro, em outro artigo, que se havia uma pessoa em todo o planeta que conhecia essa dificuldade melhor do que ninguém era exatamente Bush. Clicar aqui, em cima do título do meu artigo: As guerras no Iraque e Afeganistão: o tempo corrompe a verdade .

Para Bush abrir qualquer outra frente era dificil. Mesmo assim resolveu colocar a Rússia em pânico, com o escudo anti-missil. Obambi logo resolveu acabar com o escudo a troco do seu famosíssimo ” diálogo” , isso é que é dificil de se acreditar. Trocou o escudo por uma inconsistente,vaga , talvez, quem sabe, uma chance, um dia, Putin resolva apertar o Iran para que esse não construa a bomba. Obambi deixou o ursão russo crescer novamente para cima da Europa Oriental a troco DE NADA. Mas a imprensa , toda ela de esquerda no plano internacional, não diz uma palavra explicando onde é que esse diálogo funcionou até agora . E nem vai dizer, porque não aconteceu. E os eurabianos que aplaudiram o novo presidente como se fosse uma estrela de cinema, também não querem saber de mandar mais tropas para a OTAN no Afeganistão, ou ajudar no Iraque.  O que foi que aconteceu de bom para os Estados Unidos  depois de um ano de ” diálogo sem pré-condições” ? Como foi a grande virada de Obama em comparação ‘a Bush ?  Os jornais nos dão manchetes assim : ” Obama chegando na China, com outra política, sem o unilateralismo de Bush…”  Um ano, e ainda estão falando mal de Bush?  Por que ? Exatamente porque precisam, já que não aconteceu nada do que se esperava com Obama. É necessário malhar o antecessor. E o que foi que houve  na China depois da visita ? Mudou alguma coisa ? Claro que não. Para os chineses é apenas outro americano, só que esse é domesticavel, querendo agradar, inofensivo. Vocês se lembram do Chavez segurando a mão do Obama e o obrigando a  posar para uma foto apontando para o livro ” As veias abertas da América Latina” ? Bem, como eu disse, esse comuna nem se atreveria a chegar perto de Bush porque a Segurança do presidente não deixaria. Ele não seria tratado como um chefe de estado, mas como um sujeito inconveniente. Pois bem, o canastrão fez o Obama de pateta, e afinal aconteceu  alguma coisa de positivo no comportamento venezuelano nesses 10 meses  de governo ? Ah, sim, Chavez não chamou Obama de demônio, como havia feito com Bush.

Sem dúvida os Estados Unidos são o império mais atípico que já houve na história.

Não pensem que eu não sei que muita gente (99% ? ) acha esse tipo de texto de um primarismo atroz, que eu estaria esquecendo um monte de obstáculos no caminho americano. Não existe obstáculo algum, a não ser os criados pelos próprios americanos. Essa é a verdadeira sofisticação da análise. Não se deixem enganar.

Concluindo:   Yoani  deve ter  ficado satisfeita com a carta xarope que recebeu. Deve achar Obambi um homem atencioso e sensivel por haver respondido. Desconhece tanto o poder militar americano, quanto a diferença abissal entre seu proprio caráter e o do presidente desfibrado.

* o título ” USA: Potência de Segunda Classe ? ”  é de um best-seller da década de 50, escrito pelo jornalista americano Drew Pearson

porta-aviões

21 novembro, 2009 às 01:57

Tags:

Categoria: Artigos

Comentários (1)

 

  1. Francisco Campos disse:

    Grande Cláudio,
    Você toca em vários pontos sistematicamente ignorados pelo mainstream midiático. Embora encadeados por uma lógica impecável e fortemente ancorados em fatos, seus argumentos soam a muita gente como improváveis e fantasiosos. Imagino como deve ser desgastante escrever diariamente como quem lança pérolas aos porcos. Persista. Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *